Laís Laíny

Cascavel unida pela morte da Magô e por todas as vítimas de feminicídio

Um grande ato está marcado para este domingo (16) em Cascavel, em frente a Prefeitura

14/02/2020 17h23

O estupro e a morte por estrangulamento da bailarina em Mandaguari, Maria da Glória Poltroneri Borges, a Magô, ativou uma rede de protestos em todo o Brasil e, neste domingo (16), a mobilização chega a Cascavel. Será a partir das 16h, em frente a Prefeitura de Cascavel.

A jovem advogada Isabelle Ianesko puxou o movimento para a Cascavel e a ação proativa de dela aglutinou o apoiadores como a OAB, Ministério Público, Judiciário e o Coletivo 8 de Março.

"A tragédia da morte da Maria Glória foi o apogeu de toda essa movimentação. Inicialmente, eu tive a ideia porque em Maringá houve um manifestação com mais de 100 mil pessoas e eu me empolguei e quis trazer para Cascavel. Estamos tentando combater a violência de gênero contra a mulher, de todas as suas formas, não só o feminicídio".

Mais que um protesto, o ato de domingo será uma homenagem a Magô e a todas as mulheres que já foram mortas ou que, diariamente, são agredidas de forma covarde.

"Terá banda, bateria das atléticas, será um evento alegre mas vamos falar de dados estatísticos, pois somos uma das regiões com um dos maiores índices".

As mulheres serão maioria, mas é um ato de todos. "É um evento apartidário. E eu convido todos, mulheres, crianças. Todos que forem será muito importante e os homens principalmente. Queremos trazer uma cultura diferente e falar sobre o feminicídio".

Assista a entrevista que fiz com a Isabelle Ianesko.

Leia outros artigos de Laís Laíny