Laís Laíny

Falha de hidrômetros em Cascavel é tema na Alep

22/08/2019 17h39

Os vereadores da Comissão de Defesa do Consumidor da Câmara de Cascavel foram comunicados nesta quinta-feira (22) de que o deputado estadual Luiz Fernando Guerra, da coligação PSL/PTC/Patri, está cobrando informações e providências da Sanepar acerca das inúmeras denúncias relatadas pela comissão cascavelense e pela imprensa estadual sobre a substituição dos hidrômetros e acréscimos nas contas de água.

O deputado pede se houve aferição com laudo conclusivo por parte do Instituto de Pesos e Medidas - IPEM; se a Sanepar está promovendo investimentos para detectar, eliminar eventuais vazamentos na rede de distribuição e promover a suspensão das trocas de hidrômetros e se, considerando a vigente vedação legal para a instalação dos eliminadores de ar individualizados por hidrômetros por parte dos usuários, sendo permitido somente pela concessionária na rede de distribuição global, existe uma forma de permitir essa opção aos consumidores interessados em arcar com seus custos.

Em Cascavel, os vereadores verificaram dezenas de usuários denunciando acréscimos abusivos nas contas de água depois que a Sanepar procedeu a substituição de hidrômetros. O pedido de suspensão do serviço foi oficializado à Sanepar e ao Procon/PR em Cascavel, durante reunião na Câmara de Vereadores, que contou ainda com representantes do IPEM e do Inmetro.

"A Sanepar diz que o aumento nas contas se dá quase sempre por conta de vazamentos no interior da unidade consumidora, mas essa conta não fecha. Verificamos pessoalmente vários casos que nos foram denunciados e constatamos situações de aumento nos valores cobrados pela Sanepar sem que se tenha qualquer tipo de vazamento no interior do imóvel. Assim, como são muitas as denúncias, precisamos de respostas adequadas para que possam incrementar as ações em defesa do interesse público, no caso, em defesa de nossos consumidores", disse o vereador Celso Dal Molin (PL), que preside a comissão e vem há meses realizando uma série de investigações sobre o serviço de abastecimento de água em Cascavel.

"Destas denúncias conseguimos verificar um padrão, em que são todos hidrômetros recentemente substituídos, apresentando tais defeitos", diz Celso. Segundo ele, é fundamental suspender as trocas até que a investigação seja concluída e as respostas sejam convincentes para a comissão e para os usuários. "Estamos levando em consideração que apenas nesse ano foram trocados 4.00 hidrômetros e a previsão é que sejam trocados, ao todo, 12 mil hidrômetros em Cascavel", destaca.

Leia outros artigos de Laís Laíny