Cafelândia

Adolescentes são feitos reféns há mais de 27 horas sem avanço nas negociações

Tensão marca as negociações entre equipes policiais e o homem, de 39 anos, que mantém os dois enteados reféns

03/12/2019 14h25 | Atualizado em 03/12/2019 17h07
As últimas 27 horas foram marcadas por tensão e muita negociação entre equipes policiais e um homem, de 39 anos, que mantém os dois enteados reféns na cidade de Cafelândia. A situação, que se iniciou ainda na tarde de segunda-feira (2), se arrastou durante toda a noite e madrugada desta terça (3), mas ainda não teve um desfecho.

Os dois adolescentes, um menino de 12 anos e uma menina de 14, seguem em cárcere privado na casa onde a família mora, na Rua Elizabete Pereira, no Bairro Benjamim Motter. Conforme relatos de familiares, o homem teria problemas psiquiátricos e fez os dois enteados reféns após uma discussão.

As imagens mostram que a movimentação policial no local é intensa e os negociadores continuam tentando convencer o homem a se entregar pacificamente, garantido a sua segurança e também a dos adolescentes. Enquanto isso, outros agentes verificam a estrutura da residência, como janelas e portas. No entanto, no interior da residência, o homem colocou o sofá e uma mesa de mármore atravessados na porta para impedir a entrada dos policiais.

Os militares estão posicionados em todo o perímetro ao redor da residência. O cordão de isolamento está colocado distante de onde ocorre o cárcere, mas os negociadores tentam deixar o homem tranquilo, tendo em vista que, no momento, a palavra de ordem, é cautela. O motivo do da ação extrema por parte do homem ainda é um mistério.

Por outro lado, as forças de segurança garantem que a negociação vai durar o tempo que for preciso para tirar todos em segurança. Ações extremas só serão utilizadas em "iminente risco de vida".


Comportamento

As negociações com a equipe de Curitiba começaram no fim da noite de segunda-feira (2), mas, segundo o major Jorge Aparecido Fritola, da Polícia Militar, responsável pela operação, o homem se mostra instável, com picos de agressividade. Em certos momentos está tranquilo e calmo, mas em outros apresenta-se irredutível.

Durante as negociações, ele não dormiu e seu humor tem variado bastante. Ainda segundo o oficial, o suspeito tem mostrado aos policiais que as crianças estão bem.


Oração

Em um momento de fé e esperança, familiares dos dois adolescentes realizaram uma corrente de oração no início da tarde desta terça-feira.

A família está próximo da residência onde os enteados são mantidos em cárcere privado.

Redação Catve.com



** Envie fotos, vídeos, denúncias e reclamações para a equipe do Portal CATVE.com pelo WhatsApp (45) 9 9982-0352 ou entre em contato pelo (45) 3301-2642.