Curitiba

Em carta, Lula diz que não aceita barganhar sua liberdade

Na sexta-feira (27), ex-presidente adquiriu o direito do semiaberto

30/09/2019 18h53 | Atualizado em 30/09/2019 19h10
O ex-presidente Lula, preso desde 7 de abril de 2018 na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba, após reunião com seus advogados divulgou uma carta nesta segunda-feira (30) em que diz "[...] não aceito barganhar meus direitos e minha liberdade".

Na sexta-feira passada (27) a força-tarefa da Operação Lava Jato solicitou à Justiça Federal que o ex-presidente Lula passe para o regime semiaberto de prisão.

Leia a carta na íntegra:

"Ao povo brasileiro

Não troco minha dignidade por minha liberdade.

Tudo que os procuradores da Lava Jato deveriam realmente fazer é pedir desculpas ao povo brasileiro, aos milhões de desempregados e à minha família pelo mal que fizeram à democracia, à Justiça e ao país.

Quero que saibam que não aceito barganhar meus direitos e minha liberdade.

Já demonstrei que são falsas as acusações que me fizeram. São eles e não eu que estão presos às mentiras que contaram ao Brasil e ao mundo.

Diante das arbitrariedades cometidas pelos procuradores e por Sergio Moro, cabe agora à Suprema Corte corrigir o que está errado para que haja justiça independente e imparcial, como é devido a todo cidadão.

Tenho plena consciência das decisões que tomei nesse processo e não descansarei enquanto a verdade e a Justiça não voltarem a prevalecer".

Redação Catve.com



** Envie fotos, vídeos, denúncias e reclamações para a equipe do Portal CATVE.com pelo WhatsApp (45) 9 9982-0352 ou entre em contato pelo (45) 3301-2642.