Autódromo de Curitiba vai encerrar atividades em dezembro

Fundado em 1967, local será transformado em área residencial e de lazer

24 de setembro de 2021 | 14h58 | Atualizado há 24 dias

Foto: Divulgação/Bairru
PUBLICIDADE
Nos bastidores do automobilismo a conversa de que o Autódromo de Curitiba seria fechado no fim desse ano de 2021 era cada vez mais forte. O assunto, que até então estava no campo das especulações, agora foi transformado em oficial pela direção do Autódromo Internacional de Curitiba (AIC). As corridas só serão realizadas até o dia 31 de dezembro. À partir do ano que vem o espaço vai se tornar uma área residencial.

A confirmação foi feita pelo empresário Carlos Rodrigues, um dos proprietários do local e que encabeçará as mudanças a partir de 2022, em uma entrevista para a BandNews FM de Curitiba. De acordo com ele a ideia é viabilizar a área já que apenas com a realização de eventos esportivos o espaço gera prejuízos.

"Já havia sido decidido lá atrás que não seria mais possível operar o autódromo. Com o fim da operação a gente já começa a aprovação junto com a prefeitura desse grande empreendimento que estamos prevendo. Nosso negócio é desenvolvimento urbano e o projeto já está pronto. Já investimos nesse projeto e não tem mais como voltar atrás", disse o empresário à emissora.

Carlos Rodrigues se tornou sócio do autódromo em 2018 quando foi feito um acordo com os outros dois proprietários que previam o encerramento das atividades do autódromo de Curitiba e a construção de um bairro planejado. Antes disso, em 2016, o fechamento do autódromo chegou a ser anunciado de forma oficial pelos diretores do espaço, no entanto, a decisão foi revertida.

Instalado em Pinhais, o autódromo foi fundado em 1967, antes mesmo da emancipação político-administrativa. Durante entrevista à BandNews, Carlos Rodrigues explicou que a utilização da área apresenta uma proposta, assinada pelo então arquiteto Jaime Lerner, que morreu em maio deste ano por complicações de doença renal crônica, para que o local seja dividido em sete setores, voltados aos usos residenciais, comerciais, serviços, institucionais e de lazer.

?Pensamos em uma cidade inteligente. Um novo urbanismo, que prevê você morar, se divertir, gastar, consumir, ter atividades de lazer, cultura, se exercitar, tudo em um mesmo local. Estamos pensando em grandes áreas verdes, quadras esportivas e lagos?, comentou o empresário.

O projeto prevê a manutenção de boa parte da pista, que vai servir de asfalto e até mesmo de traçado para outros eventos, como passeios ciclísticos, de patinetes e outros veículos elétricos.

Com a confirmação do fim do autódromo, pessoas ligadas ao automobilismo programaram um protesto em frente à Prefeitura de Pinhais para a próxima quinta-feira.

Em nota, a Prefeitura de Pinhais afirma que o Autódromo é espaço particular, e a decisão de encerrar as atividades é dos proprietários, não tendo a prefeitura gerência sobre isso. A administração municipal afirmou, ainda, que as futuras intervenções no local trarão benefícios aos moradores da região, com destaque para a construção de parques públicos e uma unidade básica de saúde.

Com o fim do Autódromo Internacional de Curitiba, o Paraná terá apenas duas pistas para corridas oficiais, o Autódromo Internacional Zilmar Beux de Cascavel e o Autódromo Internacional Ayrton Senna de Londrina.
Redação Catve.com/BandNews Curitiba
** Envie fotos, vídeos, denúncias e reclamações para a equipe Portal CATVE.com pelo WhatsApp (45) 99982-0352 ou entre em contato pelo (45) 3301-2642

VEJA TAMBÉM

<