Candidatos com poucos votos devem prestar contas à Justiça Eleitoral

Caso seja comprovada a candidatura laranja, toda a chapa de candidatos pode ser cassada

19 de novembro de 2020 | 13h50 | Atualizado há 6 dias

PUBLICIDADE
Na ponta oposta da lista dos que se elegeram à Câmara de Vereadores de Cascavel, estão os nomes dos candidatos e candidatas que fizeram uma votação irrisória. Nomes que aparecem com dois, três ou apenas 20 votos. E ainda aqueles casos em que o candidato só recebeu o voto dele mesmo.

Em Cascavel, os resultados das urnas mostram 43 pessoas que fizeram menos de votos.

Candidatos com baixa votação em Cascavel:
25 mulheres e 18 homens
25 candidatos - 10 a 20 votos
16 candidatos - 2 a 10 votos
2 candidatas - 1 voto

Em Cascavel, das duas candidatas que fizeram apenas um voto, uma consta que recebeu recurso R$ 1,5 mil do fundo especial do partido. No primeiro momento, segundo a lei, não é o suficiente para dizer que se trata de uma candidatura laranja. Ela vai ter que explicar onde gastou o dinheiro.

Embora o senso comum atribua às candidaturas laranjas às mulheres, isso não é regra. Tem casos de todos os tipos. Desde os servidores que têm direito à licença remunerada e ainda aqueles que se colocam na disputa, mas atuam como meros cabos eleitorais de outros candidatos.

Práticas que, se comprovadas, não ficam impunes. O risco disso é que, se comprovada a candidatura laranja, pode ser cassada toda a chapa de candidatos.

O prazo para que os candidatos apresentem a prestação de contas final de campanha termina dia 15 de dezembro. Até lá, mesmo os que fizeram poucos votos precisam dar explicações sobre as receitas e despesas, ou terão implicações com a Justiça Eleitoral.
JC1
** Envie fotos, vídeos, denúncias e reclamações para a equipe Portal CATVE.com pelo WhatsApp (45) 99982-0352 ou entre em contato pelo (45) 3301-2642

VEJA TAMBÉM