Advogados de Elias Maluco chegam ao IML para reconhecer corpo

Corpo do traficante será levado ao Rio de Janeiro para velório e sepultamento

23 de setembro de 2020 | 12h47 | Atualizado há 64 dias

PUBLICIDADE
Dois advogados que representavam Elias Pereira da Silva, de 54 anos, chegaram ao IML (Instituto Médico-Legal) de Cascavel para fazer o reconhecimento do corpo.

Um dos maiores traficantes do Rio de Janeiro e membro do Comando Vermelho, facção do RJ, foi encontrado morto no Presídio de Segurança Máxima de Catanduvas. Laudo inicial aponta que a morte foi provocada por enforcamento, mas isso ainda está em investigação.

O corpo será encaminhado para velório e sepultamento no Rio de Janeiro, capital.

O caso

A Polícia Federal investiga o caso e deve avaliar todos os fragmentos encontrados na cela que foram recolhidos por peritos federais de Foz do Iguaçu.

No local foram apreendidas cartas escritas por Elias Maluco, segundo o delegado, direcionadas à família como forma de despedida. "Ele diz que não tinha mais vontade de viver, pediu perdão para a família e que estava pronto para o ato", descreveu o delegado sobre o conteúdo das cartas.

A Polícia Federal investiga a morte, oitivas já foram realizadas com os agentes penitenciários, além disso, câmeras de monitoramento foram analisadas, mas o delegado diz que o caso é tratado como suicídio, descartando a possibilidade de que o detento foi morto por terceiros.

O delegado Daniel Martarelli afirmou que Elias Maluco não demonstrava comportamento ruim dentro da penitenciária. A cela em que ele estava era organizada. O detento foi encontrado pendurado com um lençol no pescoço. O laudo preliminar do IML (Instituto Médico-Legal) confirma e aponta morte por enforcamento, porém o resultado é provisório até o laudo definitivo.

O corpo de Elias Maluco permanece no IML de Cascavel e só deve ser liberado com a autorização de familiares. De Cascavel o corpo deve ser transferido ao Rio de Janeiro, onde será velado e sepultado.

SOBRE ELIAS MALUCO

Elias Pereira da Silva, mais conhecido como Elias Maluco, foi preso em 19 de setembro de 2002, acusado do assassinato do jornalista Tim Lopes. Ele é considerado um dos maiores traficantes de drogas do Rio de Janeiro. Elias, que também é apontado como um dos líderes do Comando Vermelho, tinha 54 anos e era acusado pela morte de mais de 60 pessoas.
Redação Catve.com
** Envie fotos, vídeos, denúncias e reclamações para a equipe Portal CATVE.com pelo WhatsApp (45) 99982-0352 ou entre em contato pelo (45) 3301-2642

NOTÍCIAS RELACIONADAS


VEJA TAMBÉM