Campos Gerais

Feira Paraná prevê público superior a 300 mil visitantes

Evento com foco na tecnologia deverá fortalecer o fomento do agronegócio da região

04/10/2019 22h50 | Atualizado em 04/10/2019 22h51
aRede
Com uma forte representatividade no agronegócio, Ponta Grossa aposta nesse histórico para fazer da Feira Paraná, um dos maiores eventos do setor no Estado. Para se ter ideia da importância dos ramos da agricultura e da pecuária na economia nacional, eles movimentaram R$ 606,1 milhões em riquezas no decorrer de 2018, conforme os números do Valor Bruto de Produção Agropecuária (VBP), divulgados pelo Departamento de Economia Rural (Deral), vinculado à Secretaria de Estado da Agricultura e Pecuária.

O forte nome do evento, que era considerado o maior do Estado, até ser extinto em 1999, também deve contribuir para o sucesso, bem como a presença de centenas de empresas do ramo, que farão da Feira Paraná o primeiro evento do agronegócio no calendário 2020 no Estado do Paraná. Com isso, somando o público dos shows musicais, a estimativa é de que 300 mil pessoas passem pelo evento nos 10 dias.

Ponta Grossa não está sozinha: inúmeras outras cidades da região dos Campos Gerais têm destaque na produção agropecuária, como Castro, que tem o segundo maior VBP do Paraná, assim como Tibagi, que está entre os dez maiores. Carambeí também é o terceiro maior produtor de leite do país, atrás de Castro, o líder. Como a região é tecnificada, Bruno Costa, secretário interino de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Ponta Grossa, ressalta que a feira é uma oportunidade de investimento por parte dos produtores, que deverão resultar em índices positivos no futuro. "O agronegócio é um mercado muito grande dentro de Ponta Grossa e região. Assim, estamos trazendo muita tecnologia e inovação, aliados à maximização dos resultados. Entendemos que é através disso que vamos elevar o agronegócio de Ponta Grossa", diz.

Além disso, há a intenção de deixar um legado para o futuro. Bruno Costa destacou que a cidade cresceu muito nos últimos anos, em todos os setores da economia, como indústria, comércio, serviços, agricultura e pecuária. E as atrações do evento irão impulsionar os negócios. "A feira vai dar um enfoque muito grande para esse crescimento, e o objetivo é fazer com que Ponta Grossa se torne um polo de inovações tecnológicas, que seja o berço de tecnologias que o Paraná está desenvolvendo. Estamos trabalhando muito forte para isso, fazer com que futuros negócios possam surgir, futuras oportunidades, fazendo com que a cidade cresça ainda mais", informou.

A realização da Feira Paraná, que ocorre entre 18 e 27 de outubro no Centro de Eventos e Centro Agropecuário, é do Sindicato Rural e Núcleo Campos Gerais do Cavalo Quarto de Milha, com o apoio da Prefeitura de Ponta Grossa e Governo do Estado do Paraná. O evento tem o patrocínio da Caixa Econômica Federal - Governo Federal, Rumo Logística, Copel, Sanepar, Compagas e BRDE.

Leilão movimentará mais de R$ 1 mi

A Feira Paraná contará com leilões de bovinos e equinos. Somente essa atração deverá movimentar mais de R$ 1 milhão em negócios. Outro diferencial no evento é que entre os ovinos haverá a escolha do "Campeão Supremo" entre as raças expostas. Para fomentar os negócios, estarão presentes a Caixa Econômica Federal, Banco do Brasil e Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), além do Sistema de Cooperativas de Crédito do Brasil (Sicoob), Cooperativa de Crédito Sicredi e Fomento Paraná.



aRede



** Envie fotos, vídeos, denúncias e reclamações para a equipe do Portal CATVE.com pelo WhatsApp (45) 9 9982-0352 ou entre em contato pelo (45) 3301-2642.