Cascavel

Grupo Bolshoi faz apresentação na rodoviária de Cascavel

O objetivo era chamar a atenção do público para a última apresentação do 27º Festival de Dança

21/05/2016 13h01 | Atualizado em 21/05/2016 13h50
Hoje o palco foi improvisado, mas o encanto foi o mesmo. Os dançarinos da Companhia jovem do Bolshoi se apresentaram no Terminal Rodoviário de Cascavel. Isso para quem quisesse ver, porque é justamente este o objetivo da mostra aberta do 27º Festival de Dança: levar arte para todas as pessoas.

O ballet Bolshoi estreia neste noite no Teatro Municipal da Cidade às 8 horas da noite, a apresentação encerra esta edição do festival.

ENCERRAMENTO

A Escola do Teatro Bolshoi no Brasil é quem marca, neste fim de semana, o encerramento do 27° Festival de Dança de Cascavel. Em duas noites - neste sábado (21) e domingo (22) - às 20 horas, será apresentado ao público todo o virtuosismo e a beleza do espetáculo "Gala Bolshoi". Ingressos podem ser adquiridos pela rede Ok, na internet, ou pessoalmente no Teatro Municipal, pelo valor de R$ 100,00 (inteira) e R$ 50,00 (meia-entrada).

O elenco, formado por 55 bailarinos, chegou nesta manhã na cidade. Esta noite, a partir das 19h30, fará o ensaio oficial da apresentação. Esta é a segunda vez que a Escola do Teatro Bolshoi no Brasil - localizada em Joinville/SC - apresenta no Município a arte da dança com um espetáculo vibrante. A primeira foi em abril de 2015, marcando a inauguração do Teatro Municipal de Cascavel.

A apresentação é composta por dança contemporânea, dança a caráter e trechos de renomados balés de repertório que proporcionam ao público diferentes tipos de emoções e uma mistura de ritmos contagiantes. As coreografias da Gala destacam o principal talento de cada um dos bailarinos, levando ao público o resultado do trabalho diário realizado. Além disso, os bailarinos apresentam as danças polovitzianas extraídas da ópera O Príncipe Igor que são de grande beleza e entusiasmo.

A ópera foi iniciada em 1869 e só foi finalizada após a morte de seu compositor, o russo Alexander Borodin. O libreto origina-se do livro "A Saga do Exército de Igor", que narra um episódio de invasão do sul da Rússia no século XII por um povo bárbaro e nômade conhecido como polovitzianos. A primeira versão das danças polovitzianas foi coreografada por Mikhail Fokine e teve a estreia em 19 de março de 1909, provocando um forte contraste às tendências da época.

A versão apresentada pela Escola do Teatro Bolshoi no Brasil é de Kasyan Goleyzovsky, outro famoso coreógrafo russo. O balé ocorre no acampamento dos polovitz, que acabaram de conquistar uma vitória sobre a tribo tarta, tendo o príncipe Igor e seu filho como seus reféns, e por sua condição são tratados com honras.

Guerreiros surgem no cenário, o qual representa uma árida paisagem típica do nordeste asiático, e dançam em comemoração à vitória sobre seus inimigos. As coreografias fazem parte do segundo ato da obra, inspirada nas músicas do povo polovitz, habitantes da Ásia Central. As danças polovitzianas evidenciam o corpo de baile. A remontagem da Escola Bolshoi contou com a experiência de todos os mestres russos, que viveram esses personagens no Teatro Bolshoi.

Catve.com