Esporte

Paranaense: Veja o guia dos clubes para a edição de 2022 que começa neste sábado

Estadual tem tudo para ser um dos campeonatos mais disputados dos últimos anos


Foto: Divulgação/FPF

O Campeonato Paranaense começa neste sábado (22), com o duelo entre Coritiba e Cianorte, às 16h, e FC Cascavel e Rio Branco logo depois, às 19h.

Desta vez, Athletico, Paraná, Coritiba, Londrina, Operário, Cianorte e FC Cascavel são considerados os times mais fortes do Estadual, ou melhor, os principais clubes do Paraná. O Furacão e o Coxa estão na primeira divisão do futebol brasileiro e naturalmente são as maiores potências do futebol paranaense.

Londrina e Operário seguem na Série B. FC Cascavel, Cianorte e Paraná Clube vão disputar a Série D do nacional, assim como o Azuriz. Detalhe, o tricolor da capital foi rebaixado no ano passado na Série C e a Gralha do sudoeste conseguiu a vaga de maneira surpreendente.

No segundo "pelotão" correm Azuriz e Maringá, que prometem equipes competitivas nesta edição de 2022, a 108ª edição do Campeonato Paranaense. São Joseense, que estreia na elite, e União, de Francisco Beltrão, são as novidades deste ano depois do acesso conquistado em 2021. O Rio Branco quer fazer uma campanha diferente das últimas edições e não fazer o torcedor sofrer tanto, especialmente quando o assunto é rebaixamento.

De maneira geral deveremos ter um campeonato equilibrado, o que não significa que todos os jogos vão apresentar um nível técnico alto. Para o torcedor o Estadual é sempre uma incógnita, ainda mais com o Athletico jogando com o time de aspirantes e o Coritiba mesclando jogadores do elenco principal com u time alternativo.

O Paranaense de 2022 repetirá a fórmula dos dois últimos anos, com turno único e mata-mata até a decisão da competição. Os oito melhores avançam para as quartas de final, e os dois últimos caem. As finais do estadual estão previstas para 30 de março e 03 de abril.

FC Cascavel

Vice-campeão inédito no ano passado a Serpente Aurinegra já anunciou dez contratações para 2022, e outras duas devem ser anunciadas na semana que vem. Por enquanto chegaram o goleiro Fabricio Torres (ex-Operário), o zagueiro Jamerson (ex-Juazeirense-BA), o lateral Mikael Doka, os volantes França (ex-Palmeiras, Coritiba e Londrina) e Fabrício Bigode (do Figueirense), o meia Alex Nemmetz (ex-Paraná, Operário e Atlético-GO) e os atacantes Núbio Flávio (ex-Paraná Clube, ABC e Treze), Jajá (ex-Bahia, Paysandu e Coritiba), Paulinho (Ex-Sport, Porto-PE e River-PI) e Samuel Gomes (Ex-Goiás, Londrina e Aparecidense).

O time conseguiu manter a base principal que chegou à final do Paranaense em 2022 e os reforços vieram para dar ainda mais sustentação ao plano de jogo do Técnico Tcheco, que vai para sua segundo temporada com a camisa do Cascavel. O atacante Samuel é uma das grandes apostas da diretoria.

O time fez quatro amistosos na preparação para o Estadual. Empatou em 0 a 0 com o Cianorte, venceu o mesmo Leão por 2 a 0 e perdeu duas vezes para o Maringá: 2 a 1 e 3 a 1.

Athletico

O Furação vem de uma eliminação na semifinal do Paranaense 2020, usando algumas de suas peças principais nos dois jogos que disputou contra o FC Cascavel. Como tem feito nos anos anteriores o Athletico novamente vai usar a base para a disputa do Estadual, que a comissão técnica denominou como "aspirantes".

Boa parte do grupo é formada por jogadores que chegaram até às quartas de final do Campeonato Brasileiro Sub-20 no ano passado. O zagueiro Matheus Felipe e o atacante Reinaldo são alguns nomes que chamam a atenção dos torcedores. Os dois vieram do CSA-AL.

Coritiba

O Coxa fez uma péssima campanha na edição passada do Campeonato Paranaense. O clube não conseguiu sequer a classificação para às quartas de final. Depois de um início ruim de temporada, o Coritiba se organizou com a temporada em andamento e conseguiu o acesso para a Série A do Brasileiro como vice-campeão da segundona. É com essa moral que o Coxa começa 2022.

Comandado por Gustavo Morínigo, o Coritiba manteve a base do time que disputou a série B e fez contratações bem pontuais. Uma delas é a do atacante que a cidade de Cascavel conhece bem, Alef Manga. Ele estava no Goiás, depois de se destacar no futebol carioca, e decidiu defender o time alviverde paranaense este ano. Alef já vestiu a camisa dos dois times cascavelenses: Cascavel CR e FC Cascavel.

O zagueiro De los Santos (ex-Universidad Catolica-QUE), o lateral esquerdo Egídio (ex-Fluminense) e o meia Régis (ex-Guarani) são as principais contratações. Por outro lado, o Coxa perdeu dois de seus maiores ídolos: o meia Rafinha e o goleiro Wilson.

Londrina

Com o status de atual campeão paranaense, o Tubarão precisa de uma mudança radical para 2022. Apesar do título sobre o FC Cascavel, nos pênaltis, o time do norte do Estado teve um ano de 2021 muito complicado pela frente e terminou a Série B de forma dramática, garantindo permanência na segundona na última rodada com uma combinação de resultados.

E o clube passou por uma grande reformulação, dentro e fora de campo. E técnico agora é Vinícius Eutrópio e do elenco que disputou a temporada passada, 18 jogadores foram embora. Nove foram contratados: os goleiros Matheus Albino e Matheus Nogueira, o lateral-direito Rafael França, o volante Ratinho, os meias Douglas Lima e Léo Artur e os atacantes Douglas Coutinho e Hamed. Faltou um nessa lista. Deixamos por último o nome do atacante Juninho Manella, porque essa novidade foi a que mais ganhou repercussão. Juninho é youtuber e foi o primeiro reforço do Alviceleste para a nova temporada.

Operário

O Operário foi semifinalista no Paranaense 2021. O time caiu para o Londrina e não conseguiu chegar à decisão. O técnico Ricardo Catalá terá a missão de dar regularidade ao Fantasma nesta temporada, o que faltou no fim do ano passado na Série B do Brasileiro. Consolidado no futebol do Paraná o Operário é sempre considerado um difícil time a ser batido.

Para a nova temporada o clube de Ponta Grossa conseguiu manter grande parte do elenco e aposto no entrosamento para se dar bem em 2022. O elenco é formado por 29 jogadores, sendo que 23 deles estavam no Fantasma no ano passado. No total, seis reforços foram contratados, o lateral-direito Arnaldo, o lateral-esquerdo Romário, ex-Coritiba, o zagueiro Thales Lira, o volante André Lima, o meia Javier Reina, principal contratação até agora, e o atacante Giovanni Pavani. Léo Gimenez, jovem meia atacante que estava no Futebol Clube Cascavel em 2021, também é do Fantasma e trabalha para ganhar uma oportunidade no time principal.

No grupo, o Operário ainda conta com experientes peças, como o goleiro Simão, o volante Leandro Vilela e os atacantes Paulo Sérgio e Rodrigo Pimpão.

Cianorte

O Leão do Vale é daqueles clubes que os rivais precisam ficar sempre de olho. Foi o Cianorte que eliminou o FC Cascavel na segunda fase da Série D do ano passado em pleno Estádio Olímpico Regional, depois de uma convincente vitória por 3 a 0. Na Copa do Brasil de 2021 chegou até à terceira fase e foi eliminado pelo Santos na Vila Belmiro. No Paranaense caiu nas quartas de final para o Londrina, que mais tarde viria a conquistar o título.

Apesar de boas campanhas em anos anteriores o Cianorte ainda não conseguiu chegar à decisão do Estadual e para 2022 reforçou a equipe para alcançar os objetivos. No total são 17 contratações até o momento. A diretoria trouxe jogadores que estavam disputando as séries B e C das competições nacionais e mais uma vez apostou em uma jogada de marketing. Ralf, jogador que passou pelo Corinthians, Avaí e até pela Seleção Brasileira, foi a principal contratação do Leão. Aos 37 anos, ele chega para dar experiência.

O goleiro Gleibson (ex-Manaus-AM) e os atacantes Luiz Fernando (ex-Brasil de Pelotas-RS), Allan Grafite (ex-Vila Nova-GO) e Phillip (ex-Manaus-GO) são outras contratações de destaque. No comando da equipe segue João Burse, que dirige o Cianorte desde 2019.

Paraná Clube

Incógnita. Essa palavra define o Paraná Clube para 2022. O time que faz parte do chamado trio de ferro da Capital paranaense vem descendo a ladeira do futebol brasileiro. Problemas e mais problemas definem a vida do tricolor e fica difícil acreditar que as coisas vão mudar este ano. Mas, a esperança é a última que morre.

Com uma situação financeira deplorável o Paraná teve que cortar gastos e montar uma equipe jovem, com muitos cortes na folha de pagamento para se reerguer. O novo presidente do Paraná Clube é Rubens Ferreira. Ele aceitou o desafio é gigantesco de "reconstruir" o clube.

O técnico Jorge Ferreira participou diretamente da remontagem do elenco. Até o momento, o Tricolor anunciou 19 reforços, sendo que sete desses jogadores já passaram pelo próprio Tricolor. Apenas nove renovaram contrato.

O último reforço anunciado foi de Rayne, zagueiro de 25 anos e 1,98 de altura. Teve passagens por Grêmio Prudente, Red Bull Bragantino e Ferroviária. Também jogou pelo Figueirense, clube em que disputou a Série C do Brasileiro e a Copa Santa Catarina, no ano passado.

O time-base do Paraná Clube para a disputa do Paranaense deve ser: Gabriel Leite; André Krobel, Luan, Rayne e Juninho; Moisés Gaúcho, Edson Baiano e Vinicius Kiss; Castanha, Pablo Thomaz e Everton Brito. Com sete títulos do estadual, o Paraná vive um longo jejum de 15 anos na competição. A última taça levantada foi em 2006, e o clube não disputa uma final desde 2007, quando foi vice-campeão diante do Paranavaí.

Azuriz

Criado em 2018, o Azuriz estreou na elite do Paranaense em 2021. E foi bem demais. O time do sudoeste chegou até a fase mata-mata e de quebra garantiu vagas para a Copa do Brasil e Brasileiro da Série D neste ano. A Gralha corre por fora novamente e promete dar trabalho para os adversários.

O técnico é Celso Martins, que estava nas categorias de base e rodou por vários clubes do Rio de Janeiro, sempre na base. A diretoria montou um elenco jovem. Somente os volantes Revson e Rithely tem mais de 30 anos. Rithely passou nove anos no Sport-PE e estava parado desde 2020, retomando a carreira no time patobranquense, que tem o CT montado na cidade vizinha de Marmeleiro, mas que manda os jogos na cidade de Pato Branco. O atacante Rone, ex-Cascavel Clube Recreativo, que rodou por times como Chapecoense, CSA, Santo André e Brasil de Pelotas é outro nome conhecido.

Mas também tem outros nomes que quem acompanha o futebol já ouviu falar: o lateral-direito Cayo Tenório, ex-Vasco, os zagueiros Salazar, ex-Paraná, e Gabriel Fornari, que era do Athletico, e o meia Fabricio Oya, revelado pelo Corinthians.

Maringá

Olho nele. O Maringá Futebol Clube promete fazer uma boa campanha neste Paranaense. A diretoria trabalhou para garantir um calendário cheio em 2023 e para encarar os principais clubes do Estado de igual para igual e evitar sempre a zona de rebaixamento, como rondou a zona perigosa algumas vezes em 2021, apesar de ter conseguido a classificação para às quartas de final.

Para esta temporada, o time comandando pelo técnico Jorge Castilho vai ter um elenco com 30 jogadores. A diretoria já anunciou dez reforços para 2022, os laterais-direitos Marcos Vinícius e Matheus Rocha, o zagueiro Felipe Macedo, o lateral-esquerdo Raphinha, os volantes Matheus Bianqui e João Denoni, os meias Guilherme Castro e Anderson Ceará e os atacantes Alemão e Lucão. Alemão marcou quatro gols em cinco amistosos de pré-temporada e se torna uma boa arma para o ataque maringaense.

São Joseense

Caçula. O Independente São Joseense é a grande novidade no Campeonato Paranaense de 2022. Com apenas seis anos de história, o time de São José dos Pinhais conquistou o título da segundona em 2021 e vai estrear na primeira divisão. O time é comandado por um velho conhecido do futebol paranaense. O ex-lateral e zagueiro Marcão, ídolo do Athletico nos anos 2000, é o técnico desde a campanha do título na segundona. Ele terá a primeira experiência na elite do Campeonato Paranaense.

O elenco do São Joseense tem jogadores experientes, entre eles o goleiro Lucas Macanhan, ex-Athletico e Paraná Clube, e o zagueiro Dirceu, ex-Coritiba e Londrina. Os dois fizeram parte da equipe na segundona de 2021. E entre as novidades está o atacante Wellissol, ex-Coritiba e Figueirense.

Além disso, o clube tem um trunfo quando joga dentro de casa. O estádio Cilmar Pedro Goergen, antigamente conhecido como Pinhão, tem grama sintética. O objetivo é permanecer na elite do Paranaense e depois pensar em classificação para as quartas de final.

União

De volta à 1ª Divisão. Depois de cair para a segundona em 2020, o time de Francisco Beltrão retorna para a elite do Estadual depois de conquistar o vice-campeonato da segundona em 2021. Com isso o sudoeste volta a ter o clássico das penas, também no futebol, já que o Azuriz é o representante de Pato Branco, apesar de ter o CT instalado em Marmeleiro.

O União quer fazer diferente da última participação do clube na divisão principal e trabalha para permanecer na primeirona. Para 2022, o clube segue com o técnico Rafael Andrade, que conquistou dois acessos com o Azulão, mas reformulou o elenco.

Dos 26 jogadores do grupo atual, apenas seis faziam parte da equipe que disputou a segunda divisão. O objetivo foi dar mais experiência de Paranaense para o União. A maioria não tem nem 30 anos, mas 11 nomes vieram de outras equipes do Estado.

Marcos Paraná, que havia se aposentado em 2020, é o principal nome do elenco. O jogador é natural de São Jorge D’Oeste, uma cidade que fica a 70 Km de Francisco Beltrão, e decidiu aceitar o convite da diretoria para ajudar o União nesta temporada.

Rio Branco

Diz o ditado que aquilo que começa errado, termina errado. E o Rio Branco parece gostar de fortes emoções. A falta de planejamento na última década tem sido uma característica do clube centenário. Mas, quando a bola rola algumas coisas mudam e o time até consegue apresentar um bom desempenho em campo, pelo menos para se livrar do rebaixamento. Em 2021 o Leão da Estradinha chegou a disputar a Série D do Brasileiro. Vale lembrar, porém, que no Estadual do ano passado escapou da degola apenas na última rodada.

Adversário do FC Cascavel na estreia do Paranaense 2022, o Rio Branco conta com dois jogadores que já passaram pelo Aurinegro. Um deles foi até capitão do Cascave, o volante Duda. Outro nome conhecido é de Guilherme Biteco, ex-Grêmio, Paraná e Futebol Clube Cascavel. Ele é o principal nome do grupo e jogará ao lado do irmão Gabriel.

O time de Paranaguá ainda conta com muitos ex-jogadores do Paraná Clube, como o atacante Andrey, o experiente volante Xaves e o zagueiro Gabriel Lacerda. O técnico Vitão também passou pelo time paranista.

Este ano o Rio Branco não jogará na Estradinha, que sempre teve um gramado muito criticado pelos adversários. Agora, o clube mandará suas partidas no Caranguejão, o Gigante do Itiberê, que conta com uma grama sintética. A última vez que mandou jogos no Caranguejão foi em 2016.

Campeonato Paranaense - 1ª rodada

(Sáb) 22/01 - 16h - Coritiba x Cianorte - Couto Pereira

(Sáb) 22/01 - 19h - FC Cascavel x Rio Branco - Olímpico Regional

(Dom) 23/01 - 11h - São Joseense x Azuriz - Estádio do Pinhão

(Dom) 23/01 - 16h - Londrina x Maringá - Estádio do Café

(Dom) 23/01 - 16h - Athletico x Paraná - Arena da Baixada

(Dom) 23/01 - 19h - Operário x União - Germano Krüger


Redação Catve.com

** Envie fotos, vídeos, denúncias e reclamações para a equipe Portal CATVE.com pelo WhatsApp (45) 99982-0352 ou entre em contato pelo (45) 3301-2642

Mais lidas de Esporte
Últimas notícias de Esporte