Rui M. S. Almeida

Como escolher o seu curso de Medicina - por Rui Almeida

25/09/2017 08h57

Os cursos de Medicina no Brasil, hoje estão entre os mais concorridos de todos os cursos de ensino superior. Esta procura se deve a dois pontos fundamentais: a vocação para ser médico e as possibilidades do mercado para a inserção desta profissão.

Para se realizar este sonho há que se escolher um Curso de Medicina, capaz de oferecer uma série de requisitos, dentro de uma Instituição de Ensino Superior, que tenha não só credibilidade mas também uma estrutura apoiada em alicerces seguros, pelo sucesso de todos os cursos que ministra.

Para tal devem levar-se em consideração uma série de pontos;

1) História do Curso
O Curso de Medicina tem de ter um histórico de conquistas e ser suportado por um plano pedagógico atualizado e voltado não só para o aprendizado do acadêmico mas, também para o mercado de trabalho ao final do curso. Deve-se pesquisar no histórico do curso o seu indicador de qualidade dos vários índices que hoje medem a qualidade dos cursos, bem como os do MEC.

2) Estrutura do Campus
É importante que ao escolher uma Instituição de Ensino Superior (IES) o aluno, e seus responsáveis, levem em consideração as instalações físicas, e a qualidade das mesmas, bem como a estrutura diretamente ligada ao curso de Medicina. Neste curso o aluno passará quase todo o dia nestas instalações e elas devem ser aprazíveis e que possam tornar a vida do dia a dia, sem estresse e com uma boa qualidade. As salas de aula devem ser arejadas e ter um sistema audiovisual capaz de atender as necessidades do corpo discente e docente. É necessário ver os laboratórios, como o de Anatomia, e as suas peças bem como os moldes de acrílico, assim como os demais laboratórios com todo o suporte para o aprendizado prático das disciplinas do ciclo básico. Deve-se incluir nestes laboratórios um de habilidades médicas com os mais novos simuladores oferecidos para poder reproduzir condições de emergência e tratar as mesmas.
A parte disto a IES deve ter outros cursos na área da saúde que possam dar suporte ao curso de Medicina, e que também tenham um bom conceito nos rankings de cursos.

3) Biblioteca
A biblioteca no curso de Medicina é essencial para que o aluno possa fazer as suas pesquisas e ter um local para poder estudar entre períodos das suas aulas. Ela deve ser central e possuir uma biblioteca central no hospital de referência. Além dos livros obrigatórios, para cada disciplina, esta deve ter um sistema para busca de artigos, bem como uma série de publicações "on-line", para que o aluno cadastrado, possa fazer as suas pesquisas de seu próprio computador e poder ler e guardar artigos necessários á sua pesquisa.
Como as informações nos dias de hoje estão em constante mudança e há necessidade de uma atualização quase que diária, nas diversas especialidades, esta é uma ferramenta de enorme importância e essencial para poder estar atualizado.

4) Hospital Escola ou Universitário
A IES deve ter um hospital próprio que possibilite aos seus alunos poderem ter contato com pacientes no ciclo clínico e no internato. Além deste é necessário na maioria das vezes convênios com outros hospitais não só para que haja exposição ao mais variado tipo de pacientes e suas doenças como a diversas formas de tratamento que não sejam em hospitais de referência. Os hospitais devem possuir ambulatórios adequados e de convênios com unidades de emergência e de saúde básica do município. A integração da escola com a saúde pública e seus três níveis de atendimento é mandatória. É mandatório que a IES através de seus convênios com o órgão gestor, possa ter atendimentos em baixa, média e alta complexidade. Para tal estágios em Unidades Básicas da Saúde, Unidades de Pronto Atendimento, Ambulatórios gerais e de especialidades e serviços de Alta Complexidade são essenciais.

5) Corpo Docente
O histórico do Corpo Docente é essencial para a avaliação de um Curso de Medicina. Além de um número de Professores com o título de mestrado e doutorados, no senso acadêmico, há a necessidade nos dias de hoje de ter uma série de professores com experiência assistencial. Os responsáveis por sua formação têm de estar atualizados e acima de tudo serem destaque na sua vida profissional como médicos de ponta. Com isto para além de mestres você poderá vir a ver alguns deles como seus mentores e exemplos a serem seguidos.

6) Colocação ao término do Curso
Outro ponto importante a ser visto é o resultado após a conclusão do curso. Os alunos que terminaram o curso para onde foram? Quantos entraram em residências? Quantos foram aprovados em concursos públicos? A aprovação de alunos para residências e em concursos públicos é talvez o maior marcador de qualidade do curso. Este número de aprovações é um motivo de orgulho para todo o curso, que assim mantêm seu alto nível. Para que isto se realize há a necessidade da IES oferecer ou conseguir convênios para a realização de estágios extracurriculares, bem como oportunidades de pesquisa e atividades assistenciais, que melhorem não só o aprendizado como sejam úteis para a comunidade.

7) Diálogo com a IES
Outro dos fatores importantes na escolha do curso é o modo de relacionamento dos discentes não só com os docentes mas também com a coordenação do curso e com a diretoria da IES. Sendo que este contato deve ser hierarquizado, ele deve ser aberto permitindo a troca de informações, solicitações, reivindicações e mais do que tudo o livre diálogo entre as várias partes.

Conclusão
Todos os itens anteriores devem ser cuidadosamente analisados quando se decide fazer um vestibular para uma IES. Ser aprovado no vestibular não é sinônimo de ter escolhido a IES ideal para realizar o sonho de sua vida. Ao ingressar numa IES você iniciará um dos melhores períodos de sua vida. Este período será aquele em que os alicerces que o levarão a uma carreira médica de sucesso, serão construídos.

Leia outros artigos de Rui M. S. Almeida