Pai de menina abandonada no Tatuquara foi esfaqueado porque teria estuprado filhas

A afirmação foi feita pela delegada Camila Ceconello

21 de setembro de 2021 | 17h37 | Atualizado há 27 dias

Foto: Banda B/Colaboração
PUBLICIDADE
A Polícia Civil apontou que o pai da menina de 4 anos encontrada abandonada no último domingo (19), na rua Evelázio Augusto Bley, bairro Tatuquara, em Curitiba, foi esfaqueado porque teria estuprado as próprias filhas. Os suspeitos de cometerem o crime, um menor e outro maior de idade, se apresentaram nesta terça-feira (21) à Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), que conduz as investigações.

A delegada Camila Ceconello comentou que os suspeitos possuem ligação familiar com o pai da garota abandonada, porque são parentes da esposa da vítima. Eles teriam dito à polícia que descobriram diversos abusos sexuais cometidos pelo homem contra outras duas filhas, também familiares dos possíveis autores.

"Então, imediatamente assim que eles souberam disso, eles foram atrás da vítima, a colocaram no carro e a acabaram esfaquearam. Naquele momento, o pai estava com a menina de 4 anos junto. Quando foi esfaqueado, a vítima tentou pular a janela do carro em que estava sendo agredida e a criança continuou. Então, esses autores tiraram a menina do veículo, a largaram na rua, alegando que a deixaram com conhecidos, e pediram para a menina entrar em contato com familiares", iniciou Ceconello.

Moradores do bairro na zona sul da capital disseram que a menina foi achada desesperada, só de calção e sem camiseta, relatando o fato do pai ter sido esfaqueado. "Perguntamos onde ela morava, ela disse que era longe. Depois ela passou o nome da mãe e conseguimos encontrar ela pelo Facebook. Aí acionamos uma viatura e a polícia levou ela até a casa da mãe", revelou uma moradora àquele dia, à reportagem.

A mesma moradora ainda disse que a mãe da criança passou pelo local e soube que ela já estava segura em um módulo policial da região. Questionada sobre a ação da mãe e se ela poderia ser indiciada por alguma situação, Ceconello destacou que a mãe agiu rápido assim que soube que a criança estava em perigo.

"A mãe não estava no momento do crime. Ela só sabia que, a vítima, o marido dela tinha saído com os autores. Ela conseguiu entrar em contato, e eles mesmos falaram onde tinham deixado a criança. Então, assim que ela soube que o marido tinha sido esfaqueado, ela tentou ir atrás, pegar as informações e recuperou a guarda da criança. Não dá para se falar em culpa da mãe porque a filha saiu com o pai. Ela não sabia que tudo isso iria acontecer", explicou a delegada.

Histórico

O homem, vítima das facadas, possui antecedentes por ter cometido outros abusos contra menores, segundo a polícia. Esses boletins de ocorrência (BO), aponta Ceconello, foram registrados em 2018.

"Paralelo a isso, há uma 'notícia' de que ele poderia ter abusado uma outra pessoa e isso teria sido a motivação pelo qual os autores foram esfaqueá-lo. Então, além dos antecedentes daquele ano, foi descoberto um outro fato que também está pendente da vítima vir aqui e prestar sua declaração sobre o que teria levado aos suspeitos cometerem este fato", ressaltou.

Criança abandonada

Desde o último domingo, a Polícia Civil tem coletado depoimentos de testemunhas sobre a situação. Os investigadores, agora, querem saber se o pai também pode ter estuprado a menina de 4 anos.

"A criança presenciou o pai sendo esfaqueado, foi abandonada e, segundo relatos, está bem traumatizada, não quer entrar dentro de veículos. Então, com toda certeza, foi um fato bem complicado para esta menina", analisou a investigadora.

O homem que foi esfaqueado segue internado no Hospital Cajuru. A Polícia Civil segue investigando o caso. A dupla suspeita foi ouvida na delegacia e liberada em seguida.
** Envie fotos, vídeos, denúncias e reclamações para a equipe Portal CATVE.com pelo WhatsApp (45) 99982-0352 ou entre em contato pelo (45) 3301-2642

VEJA TAMBÉM

<