Homem é morto a tiros em Campina Grande do Sul

Crime aconteceu no Jardim Paulista

06 de março de 2021 | 18h32 | Atualizado há 34 dias

Foto: Banda B
PUBLICIDADE
Homem, de 33 anos, foi morto a tiros na noite desta sexta-feira (5), em Campina Grande do Sul, região metropolitana de Curitiba. O pai da vítima lamentou o caso e afirmou que o filho "caiu no mundo do crime e a família não conseguiu tirar".

A polícia suspeita que o atirador estaria em uma moto quando surpreendeu a vítima na Rua Pedro Dalpra Filho, no Jardim Paulista. "A situação inicial que chegou para nós, era que o assassino estava em uma motocicleta", iniciou o tenente Coutinho, do 22° Batalhão da Polícia Militar.

No entanto, a PM também comentou um outro detalhe. Informações obtidas pelos policiais apontavam que o assassino seria um rapaz que usava um moletom, da cor cinza. "Não são informações concretas. Ainda não sabemos também como aconteceu e qual a motivação do assassinato", comentou o tenente.

O Instituto de Criminalística realizou a perícia no local do crime, afim de coletar mais informações sobre o assassinato. O IML (Instituto Médico Legal) já recolheu o corpo da vítima.

A Polícia Civil irá investigar o caso.

Pai
A PM e o pai da vítima confirmaram que o homem usava tornozeleira eletrônica. "Ele já foi preso. Mas, como a mãe dele faleceu, nós conversamos com a juíza e ele foi solto com a tornozeleira", contou.

No entanto, mesmo com a saída da prisão, o filho continuou no mundo do crime. Com isto, os problemas em casa, e com a família, começaram a aparecer.

"Ele sempre trabalhou, mas continuou neste mundo do crime. Nós tentamos tira-lo, porém, sem sucesso. Esses dias ele estava muito agressivo com a esposa porque não arranjava emprego", continuou o pai, afirmando que o filho tinha experiência como frentista.

"Meu filho queria o emprego, mas não conseguia. Ninguém dava oportunidade para ele, ainda mais por conta do histórico. Eu acho que meu filho morreu por falta de oportunidade porque, se conseguisse o trabalho, com certeza, ele não estaria morto hoje", lamentou o pai.
** Envie fotos, vídeos, denúncias e reclamações para a equipe Portal CATVE.com pelo WhatsApp (45) 99982-0352 ou entre em contato pelo (45) 3301-2642

VEJA TAMBÉM