Paraná

Vídeo: Ex-prefeito estava em esconderijo no momento da prisão

Ele estava no gesso da mansão de luxo quando a polícia chegou

31/01/2017 10h39 | Atualizado em 31/01/2017 10h44



Imagens da polícia Civil mostram onde estava escondido o ex-prefeito de Piên, Gilberto Dranka, preso nesta terça-feira (31) suspeito de envolvimento na morte de Loir Dreveck, recém-eleito prefeito da cidade, crime ocorrido em 17 dezembro do ano passado.

Ele estava escondido no foro de gesso da mansão luxuosa em que vivia. Investigações apontaram que ele foi o mandante do assassinato.

Piên, fica na região metropolitana de Curitiba.

A operação deflagrada nesta terça-feira (31) é comandada pelo COPE (Centro de Operações Policiais Especiais), unidade de elite da Polícia Civil do Paraná.

Os policiais do COPE cumpriram três mandados judiciais de prisão temporária de 30 dias e ainda outros oito mandados de busca e apreensão e três de condução coercitiva - quando a pessoa é levada para a delegacia para prestar depoimento.

O homem que atirou contra o prefeito ainda é suspeito de matar por engano outra pessoa. Ele teria atirado contra um homem, dias antes, achando que se tratava do prefeito eleito.

Cerca de 40 policiais do COPE participaram da operação policial.

O CRIME

Dreveck morreu no dia 17 de dezembro, três dias depois de ser baleado na cabeça. Ele foi alvejado quando viajava para Santa Catarina, pela PR-420. Dreveck estava em um carro da prefeitura, com a família, quando foi surpreendido por um motociclista que disparou contra ele.

O prefeito eleito foi atingido na cabeça e encaminhado em estado grave ao Hospital e Maternidade Sagrada Família, em São Bento do Sul, Santa Catarina, mas não resistiu aos ferimentos.