Área de espera garante distanciamento seguro de veículos maiores

Contudo, requer respeito para funcionar

28 de julho de 2021 | 18h40 | Atualizado há 55 dias

Foto: Assessoria
PUBLICIDADE
No que depender da avaliação preliminar de motociclistas e motofretistas que passaram pela ação educativa realizada nesta manhã (28) pela Transitar, com apoio do Cotrans, no cruzamento da Erechim com a Vicente Machado em alusão ao Dia do Motociclista (27 de julho), o projeto-piloto de área de espera segura para motocicletas vingará. Contudo, critério fundamental para que a proposta tenha sucesso, segundo eles próprios, é que haja respeito na via por parte de todos os membros, principalmente por parte de motoristas que estão em veículos maiores em relação às motos e, de ambos, para proteger pedestres e ciclistas.

A receptividade foi positiva e o que se pode notar, em pouco tempo de implantação do popular "bolsão", é que tanto motoristas como motociclistas já estão entendendo e respeitando a sinalização.

Luiz Antonio da Silva passou pela primeira vez hoje (28) na área segura e aprovou a ideia e a educativa. Disse que se funcionar como ocorre em São Paulo, será excelente. "Muitas vezes os motoristas não respeitam as motos e, isso, é que provoca acidente. Com um espaço próprio, aumenta justamente a segurança para o motociclista, que geralmente está com pressa, saia antes sem que haja conflito. Mas para isso, tem que haver entendimento e respeito mútuo".

E é justamente para evitar esse conflito de espaço que a área de espera está em teste, como explica a presidente da Transitar, Simoni Soares. "Espera-se melhoria na segurança para todos, reduzindo o conflito que há entre carros e motos, mas também a melhorando a visibilidade para os motociclistas em relação à travessia dos pedestres, o que pode contribuir de forma significativa para a redução de acidentes. Nosso objetivo é preservar a vida no trânsito. Caso se atinja o objetivo, de respeito a essa sinalização, estenderemos a outras áreas onde há grande fluxo de motos, áreas de conflito e pouca visibilidade para a travessia", detalhou.

Distância segura

Também inaugurando hoje a nova área segura, Erics Anderson considerou que a sinalização será uma forma de melhorar bastante a convivência entre carros e motos em Cascavel, onde a pressa é geralmente a causadora de acidentes. "Os motoristas normalmente não dão espaço para motos e, com a sinalização própria, elimina isso, promovendo maior entendimento do espaço de cada um no semáforo. O certo é o respeito e a compreensão de todos no trânsito".

Para o boy Jeferson de Oliveira, o projeto já está aprovado, pois vem para justamente garantir distanciamento das motos entre os demais veículos. "Desde que todos mantenham respeito à regra, vai funcionar muito bem, com cada um ocupando seu espaço e o distanciamento necessário para evitar acidentes. Será excelente".

Educação para preservar a vida

O objetivo de orientar é para aumentar a segurança do motociclista na via e reduzir acidentes graves e com mortes, segundo a educadora de trânsito da Transitar, Luciane de Moura.

Durante a ação, foi entregue material educativo voltado ao motofrete e ao trânsito seguro de motociclistas e também antenas corta-pipa. "Nosso foco é sempre a preservação da vida. Aproveitamos para lembrar a importância do uso correto dos equipamentos de segurança, capacete, roupa apropriada e para que a atenção esteja totalmente voltada ao trânsito enquanto estiverem na via".

O major Amarildo Ribeiro, do 4° Grupamento de Bombeiros, coordenador do Cotrans-PVT, participou da ação e lembrou que a sinalização visa aumentar a segurança, de forma que, com os veículos parados, os motociclistas possam seguir entre os carros e se posicionar à frente, saindo em segurança na abertura do semáforo antes, sem forçar ultrapassagem no corredor, enquanto os demais veículos estão em deslocamento. Isso pode contribuir para reduzir os números na estatística de sinistros, que está em alta em Cascavel. Neste primeiro semestre, houve aumento de 17% nos acidentes no perímetro urbano, um dado considerado preocupante para quem atua com trânsito e socorro a vítimas.

De janeiro até o início dessa semana são 37 mortes. Dessas, 14 no perímetro urbano e 23 em rodovias e marginais. Somente no que se refere a motociclistas, são 16, sendo nove no perímetro urbano e sete em rodovia.

Medida conjunta

Simoni Soares reforça que essa sinalização uma das alternativas que Autarquia está adotando em conjunto com o Cotrans e a Comissão de Segurança Pública e Trânsito da Câmara de Vereadores, como forma de buscar alternativas para reduzir o número de acidentes graves e gravíssimos envolvendo motociclistas em Cascavel, especialmente depois que a pandemia estimulou o crescimento do serviço de motofrete, essencial à comunidade, sempre com o foco no tripé educação, fiscalização e engenharia de trânsito.
Assessoria
** Envie fotos, vídeos, denúncias e reclamações para a equipe Portal CATVE.com pelo WhatsApp (45) 99982-0352 ou entre em contato pelo (45) 3301-2642

VEJA TAMBÉM

<