Curitiba

Cuidados simples podem garantir melhor qualidade de vida na terceira idade

Exercícios físicos e mentais ajudam nessa fase

12/03/2016 09h43 | Atualizado em 12/03/2016 09h44
Maria tem 71 anos, e depois que teve AVC (Acidente Vascular Cerebral) ela resolveu distribuir brinquedos para crianças pobres. Para os meninos compra carrinhos, para as meninas confecciona bonecas, e é isto que muda a vida dela. Além de ajudar a recuperar os movimentos da idosa, o artesanato já fez a alegria de mais de mil garotinhas.

"Eu também estou me beneficiando. Porque eu brinco junto com as crianças, porque é uma alegria enorme para as crianças e para mim" conta toda satisfeita Maria Cleci, Aposentada.

A aposentada conta com o apoio do marido, e apesar da idade avançada ele também se mantém ativo formado em pedagogia, ele não deixa de estudar e de se capacitar para as oportunidades do mercado de trabalho.

"Para muitos, quando eu digo que tenho 60 anos já estou fora do mercado de trabalho, mas eu acho que ainda não" diz marido de Maria.

Os médicos enfatizam a importância da ocupação no tempo livre na terceira idade. Nesta fase da vida a ociosidade, seja física ou intelectual pode ter consequências graves para a saúde.

"Os idosos que se mantém ativos fisicamente, psicologicamente e engajados socialmente eles experimentam uma qualidade de vida maior na velhice. Envelhecem melhor, se sente melhor, tendem a ter um suporte social melhor para eventualmente quando enfrentarem doenças, então vivem melhor" ressalta está importância Rodolfo Pedrão, Geriatra.

Mozart Bitencourt, sabe disto. Aos 86 anos as consequências de um câncer de próstata não permitem esforços físicos. Hoje a situação dele é bem diferente de quando se aposentou, época em que o ex tenente coronel da PM (Policia Militar) nadava diariamente, agora limitasse a ler.

"Antes eu lia pouco e hoje estou lendo bastante. Então dá uma média de uma semana por livro, conforme o livro" conta o aposentado.

"Quanto mais o idoso se expuser a novos conhecimentos, computação, línguas, atividades relacionadas a igreja ou voluntariado na comunidade, isso vai acarretar melhor proteção a ele e redução de risco de doenças no futuro" Rodolfo Pedrão relembra algumas atividades.

Catve.com