Governo Bolsonaro chega a 16 demissões de ministros em pouco mais de dois anos

A média é de um ministro demitido a cada 51,3 dias

30 de março de 2021 | 13h35 | Atualizado há 11 dias

Foto: Reprodução Redes Sociais
PUBLICIDADE
Após uma reforma ministerial na última segunda-feira (29), o governo Bolsonaro alcançou a marca de 16 ministros demitidos desde o início do mandato.

Jair Bolsonaro ocupa a Presidência da República há 27 meses. Com as demissões de ontem, o Governo chegou a uma média de pouco mais de 50 dias para demitir um ministro. Os motivos variam de discordâncias à pressão.

No ano de 2019, foram quatro demissões: Gustavo Bebiano (Secretaria Geral), Ricardo Vélez (Educação), Santos Cruz (Secretaria de Governo) e Floriano Peixoto (Secretaria Geral).

Em 2020, foi a vez de Onyx Lorenzoni (Casa Civil), Osmar Terra (Cidadania), Gustavo Canuto (Desenvolvimento Regional), Luiz Henrique Mandetta (Saúde), Sergio Moro (Justiça e Segurança Pública), Nelson Teich (Saúde), Abraham Weintraub (Educação), Marcelo Álvaro Antônio (Turismo) e Jorge Oliveira (Secretaria Geral da Presidência).

Onyx Lorenzoni (Cidadania), Eduardo Pazuello (Saúde) e Ernesto Araújo (Relações Exteriores) são os que saíram neste ano. Lorenzoni é o único da lista que foi desvinculado por duas vezes. Saiu da Casa Civil e foi para o Ministério da Cidadania, local onde também não permaneceu.
Informações TV Cultura
** Envie fotos, vídeos, denúncias e reclamações para a equipe Portal CATVE.com pelo WhatsApp (45) 99982-0352 ou entre em contato pelo (45) 3301-2642

VEJA TAMBÉM