Dias de sol, calor e confusão na Câmara de vereadores de Cascavel

24 de novembro de 2020 | 09h39 | Atualizado há 53 dias

PUBLICIDADE
Passado as eleições municipais, muitas alegrias e também tristezas marcam a Instituição Câmara de Vereadores de Cascavel. Os vereadores que não conseguiram a reeleição, já vem buscando alternativas para o próximo ano. Alguns sonham em fazer parte do governo Municipal, buscando um cargo que possa suprir as necessidades de sustento do dia a dia. Outros traçam metas para um futuro na rede privada.

NOVATOS
A alegria fica por conta daqueles que conseguiram se eleger. São 12 novos vereadores que estarão na Câmara a partir de janeiro de 2021. Estes buscam o conhecimento e troca de informações sobre o funcionamento da Casa de Leis. Muitos são vistos constantemente circulando pelos corredores do Legislativo.

CINCO
Dos novos vereadores eleitos, quatro deles já estiveram como vereador titular no Legislativo Cascavelense. Cidão da Telepar (PSB), Josias do Interlagos (MDB), Sadi Kisiel (Podemos), Nei Haveroth (PV). O quinto que retorna a bancada e que já esteve vereador ocupando cadeira como suplente, é professor Santello (PTB). Dos demais vereadores eleitos, todos são "Marinheiros de primeira vagem no Legislativo".

SETE AO TODO
Dos 12 novos vereadores, sete estarão na Câmara pela primeira vez. Lilian Porto (PT), Beth Leal (Republicanos), Dr. Lauri e Cleverson Subiuski (PROS), Tiago Almeida (DEM), Edson de Souza (MDB), Melo da Pastelaria (PP).

CONFUSÃO
A confusão fica por conta de assessores que estavam nomeados em função legislativa e que após a eleição, foi exonerado de suas funções. Diante disso, as críticas começaram a surgir. São denúncias envolto a situações do (ouvi dizer). Os criticados pelo ex-assessor da Câmara nas redes sociais, negam tais acusações feitas por Fantinati. Do outro lado, o ex-assessor continua realizando postagens, algumas cifradas outras nem tanto, sobre boatos ou fatos das rachadinhas do passado. Cita inclusive proteção sobre estes fatos ou boatos por parte da presidência. O bambu está gemendo, a taquara está estourando na leve fogueira da pressão do toma lá dá cá.

PERDIDOS NA ESCURIDÃO
O que dizer daqueles que sempre estiveram assessores, alguns trabalhando de fato, outros nem tanto. Muitos daqueles que faziam de conta que trabalhavam como assessores, qual o caminho a ser tomado? Vemos no dia a dia muitos desses ?perdidos na escuridão?. Mas existe um caminho fácil que possa resolver a situação de cada um desses. Procurar no setor privado TRABALHO e não EMPREGO tão somente. Só assim, conseguirão sair das ?tetas do setor Público?. Só não coloquem no currículo que foi assessor político!!!

SETOR PÚBLICO
Dos 21 vereadores reeleitos e eleitos para 2021, a maioria deles, 12 ao todo, já exerceram funções em cargos públicos.
Vejamos:
Edson Souza, Josias do Interlagos, Alécio Espínola, Sadi Kisiel, Celso Dal Molin, Cabral, Pedro Sampaio. Destes sete, estavam ou estiveram assessores ou funcionários públicos de livre nomeações em algum dos governos anteriores. Seja municipal, estadual ou federal.

SERVIDORES DE CARREIRA
Cinco dos vereadores eleitos e reeleitos, são de origem dos quadros de servidores públicos. São eles: Policial Madril, Policia Militar do Paraná. Professor Santello e Lilian Porto, professores rede pública Estadual. Nei Havertoth, Corpo de Bombeiros do Paraná e ex-secretário Municipal. Cidão da Telepar, oriundo setor público antiga Telepar (Telefonia fixa).

SETOR PRIVADO
Dr. Lauri, Cleverson Subulski, Tiago Almeida, Beth Leal, Serginho Ribeiro, Valdecir Alcântara setor privado. Melo da Pastelaria, Mazutti e Rômulo Quintino empresários do setor privado.

FUI !!!
?Não é por acaso que dezessete das trinta e seis parábolas do Senhor tratam de propriedades e mordomia?. Autor William James Dawson
** Envie fotos, vídeos, denúncias e reclamações para a equipe Portal CATVE.com pelo WhatsApp (45) 99982-0352 ou entre em contato pelo (45) 3301-2642

VEJA TAMBÉM