Everton Paulo Roman

Libertadores: Queda frustrante dos brasileiros... decepção com o VAR!

01/11/2018 11h27

Decepção. Essa pode ser a palavra que sintetiza os resultados das semifinais entre os jogos que envolveram brasileiros e argentinos na Copa Libertadores 2018. Nos jogos de ida em Buenos Aires, o Grêmio conseguiu grande vantagem ao derrotar o River Plate e tinha tudo para carimbar a ida para a final em casa no jogo da volta. Já o Palmeiras tinha uma missão mais complicada, pois perdeu o jogo em um apagão da equipe em Buenos Aires com dois gols relâmpagos de Benedetto.

Grêmio x River Plate: O Grêmio tinha a vantagem obtida em Buenos Aires e jogando em casa era o virtual finalista da competição. Era. Mesmo saindo na frente com gol de Leonardo Gomes aos 36 minutos do primeiro tempo, o tricolor gaúcho levou a virada com gols de Santos Borré aos 36 minutos do segundo tempo e Pity Martínez aos 49 minutos do segundo tempo.

Muita reclamação da torcida gremista na partida se deve a dois fatores: a não utilização do VAR no primeiro gol do River marcado por Santos Borré onde a bola bate na mão do atleta e entra no gol e a atuação nos bastidores do técnico Marcelo Gallardo, onde mesmo suspenso pela Conmebol, orientou o seu substituto no banco de reservas com um ponto eletrônico no ouvido e chegou a acessar o vestiário da equipe no intervalo.

Como toda derrota culpados são encontrados, a derrota do Grêmio teve um alvo. O Zagueiro Bressan. O atleta entrou em campo aos 25 minutos do segundo tempo, em menos de um minuto levou cartão amarelo e foi no mínimo imprudente no lance aos 42 minutos que originou a virada da equipe argentina e, consequentemente, o segundo amarelo e a expulsão do campo de jogo.

Palmeiras x Boca Juniors: O Palmeiras empatou com o Boca Juniors, em casa, pelo placar de 2 x 2 e deu adeus a Copa Libertadores 2018. O sonho de chegar a final da principal competição da América acabou perante a equipe argentina. Logo no início do jogo, um lance polêmico. Após a não marcação de um impedimento de Deyverson pelo assistente a jogada prosseguiu e saiu o gol palmeirense com Bruno Henrique aos 9 minutos do primeiro tempo. Porém, o árbitro da partida, o colombiano Wilmar Roldán chamado pelos árbitros de vídeo acabou anulando o gol, gerando muita reclamação do lado verde. A partida seguiu e Ábila abriu o placar para o Boca aos 17 minutos do primeiro tempo.

Já no segundo tempo, Luan empatou a partida aos 7 minutos, o zagueiro Gustavo Gómez virou aos 15 minutos em uma cobrança de pênalti e o grande carrasco do Palmeiras nessas semifinais, Darío Benedetto empatou a partida aos 25 minutos e selou a classificação da equipe argentina.

VAR: O significado da palavra VAR vem do inglês (video assistant referee) ou simplesmente árbitro assistente de vídeo. Essa inovação vem sendo muito discutida dentro do mundo futebolístico e futuramente vamos escrever um post específico para esse novo instrumento que visa auxiliar a equipe de arbitragem nos jogos de futebol.

Algumas perguntas deixamos aqui para simples reflexão:

1) Quais são os critérios para que o VAR seja utilizado?
2) Quem responde por todas as ações do VAR fora de campo de jogo?
3) Existe interferência externa em chamar ou não chamar o árbitro da partida pelos árbitros de vídeo?
4) Estamos sem peso político na Conmebol?
5) O VAR está diminuindo ou aumentando a polêmica nos jogos de futebol?

Não sou torcedor do Palmeiras nem do Grêmio. Apenas estou apontando que nas duas partidas foram lances capitais contra equipes brasileiras e que influenciaram no resultado final.
Na terça-feira o prejudicado foi o Grêmio... Na quarta-feira o prejudicado foi o Palmeiras!
Amanhã, o prejudicado poderá ser o seu time!

Leia outros artigos de Everton Paulo Roman