Após 30 anos, Collor pede perdão pelo confisco às poupanças

18 de maio de 2020 | 17h24 | Atualizado há 57 dias

PUBLICIDADE
Boa parte da minha geração, nascida no fim anos 1980, cresceu ouvindo pais ou avós reclamando do confisco na poupança dos brasileiros feita pelo ex-presidente, Fernando Collor.

Nesta segunda-feira (18), 30 anos depois do bloqueio, o hoje senador pelo Estado de Alagoas decidiu pedir perdão ao povo.

"Pessoal, entendo que é chegado o momento de falar aqui, com ainda mais clareza, de um assunto delicado e importante: o bloqueio dos ativos no começo do meu governo. Quando assumi o governo, o país enfrentava imensa desorganização econômica, por causa da hiperinflação: 80% ao mês".

Ele pediu desculpas pelas redes sociais e justificou porque decidiu pelo bloqueio dos bens ativos.
"Eu e a minha equipe não víamos alternativa viável naquele início de 1990. Quisemos muito acertar. Nosso objetivo sempre foi o bem do Brasil e dos brasileiros e também do País"

Collor segue dizendo que, para ele, a medida era a correta para equilibrar a economia.

"Acreditei que aquelas medidas radicais eram o caminho certo. Infelizmente errei. Gostaria de pedir perdão a todas aquelas pessoas que foram prejudicadas pelo bloqueio dos ativos".
** Envie fotos, vídeos, denúncias e reclamações para a equipe Portal CATVE.com pelo WhatsApp (45) 99982-0352 ou entre em contato pelo (45) 3301-2642

VEJA TAMBÉM