Trans atropelada levou três tiros antes de morrer em Ponta Grossa

Suspeita é que Gaby tenha corrido do atirador e, ao tentar cruzar a rodovia, foi atropelada

25 de junho de 2018 | 18h22 | Atualizado há 1020 dias

Foto: Redes Sociais
PUBLICIDADE
A PRE (Polícia Rodoviária Estadual) confirmou que a transsexual Gaby Scheifer, 19 anos, levou pelo menos três tiros antes de morrer na PRC-373 na noite do último sábado (23). Ela foi encontrada morta após um atropelamento na rodovia. O IML (Instituto Médico Legal) identificou a vítima como Gabriel Scheifer e apontou o acidente de trânsito como causa da morte. No entanto, um laudo completo deve ser emitido em 15 dias.

A PRE foi chamada para atender o atropelamento por volta das 22h30. O veículo que bateu em Gaby possuía placas do município de Castro e a motorista parou para prestar socorro. A condutora foi submetida ao teste do bafômetro, que deu negativo. Ela foi liberada.

Próximo ao local do acidente, um funcionário da concessionária que administra o trecho encontrou uma bolsa com um carteira de trabalho em nome da vítima. O IML foi acionado e constatou que, além dos ferimentos do atropelamento, o corpo possuía um tiro no rosto, um no braço e outro nos dedos. A suspeita é que Gaby tenha corrido do atirador e, ao tentar cruzar a rodovia, foi atropelada.

O caso será investigado pela Polícia Civil. Um inquérito vai apurar as causas da morte. Quem tiver informações que possam ajudar a polícia na elucidação da morte deve entrar em contato pelo telefone 181. O sigilo é garantido.
A Rede
** Envie fotos, vídeos, denúncias e reclamações para a equipe Portal CATVE.com pelo WhatsApp (45) 99982-0352 ou entre em contato pelo (45) 3301-2642

VEJA TAMBÉM