Cascavel

Timidez afasta pessoas de atividade física

Vergonha na hora de malhar também contribui para o sedentarismo

21/01/2013 11h22 | Atualizado em 21/01/2013 11h24
Ao contrário do que se pensa, a preguiça e a falta de tempo não são os únicos fatores que mantém algumas pessoas afastadas da atividade física.

A vergonha e a timidez, principalmente entre o público jovem, são motivos que contribuem cada vez mais com a evasão das academias.

Os perfis acima ou abaixo do peso são os mais comuns entre as queixas, segundo afirmam especialistas.

Para Andrett Costa, educador físico, o acompanhamento do preparador físico é essencial para estimular os alunos a alcançar seus objetivos na academia.

Fatores como deixar o aluno esperando por atendimento, ou apontar defeitos são alguns dos principais erros cometidos por professores nos ambientes de ginástica, e que podem prejudicar ainda mais o constrangimento dos mais tímidos nas academias.

"O papel do professor é importantíssimo para a inserção do individuo em seu novo ambiente. É preciso motivá-lo, deixá-lo cada vez mais à vontade, transmitir confiança e tentar interagir ele com os demais frequentadores da academia", explica.

Muitas vezes as pessoas chegam a dizer que primeiro querem emagrecer, para depois entrarem na academia, o que não é a saída mais correta.

De acordo com a psicóloga Ellen Queiróz, especialista em Saúde Mental, a aparência é um dos maiores fatores de inibição na hora de malhar.

"Essas pessoas, na maioria das vezes acima ou abaixo do peso, acham que estão fora do perfil dos frequentadores das academias, pois existe o estereótipo de que esse é um lugar de gente sarada", explica.

As consequências, segundo ela, são várias: fobia social, baixa autoestima, desmotivação, desânimo, entre outras.

Ela ressalta que o profissional de educação física tem o papel fundamental no processo de integração e desinibição do aluno. "Ele deve explicar a importância e os benefícios da atividade física, e não simplesmente montar o programa de exercícios. É preciso que exista sensibilidade por parte do professor em estabelecer um bom vínculo, compreender as dificuldades, resistências e limites do aluno, e criar um ambiente acolhedor e reforçador", afirma.

Redação Catve.tv