Brasil

Caminhoneiros da região sul discutem possibilidade de nova paralisação

Categoria está descontente com aumentos de tributos

01/08/2016 18h21 | Atualizado em 01/08/2016 18h22
Representantes de sindicatos de motoristas e transportadores do Sudoeste do Paraná, Oeste de Santa Catarina e dos Estados do Mato Grosso, São Paulo e Rio Grande do Sul, estiveram reunidos na última semana em Catanduvas, no Oeste catarinense, ocasião em que uma nova paralisação dos caminhoneiros foi discutida.

O descontentamento geral da categoria com relação aos aumentos de tributos e o relacionamento com o setor embarcador, que contratam os serviços de transportes, principalmente a indústria frigorífica, foram alguns dos pontos debatidos e apresentados como justificativa para a mobilização.

Caso seja decidido pela paralisação, os sindicalistas apontam que mais de cem mil caminhões deixem de circular. Segundo os transportadores, a ideia não é formar barreiras impeditivas nas rodovias, mas sim, optar por iniciativas que causem o menor transtorno possível para a população. A alternativa é deixar os caminhões estacionados nas garagens para pressionar e tentar remover certas exigências operacionais do setor contratante.

Além disso, apontam a defasagem no valor do frete, os aumentos dos combustíveis e demais insumos, salários e outras obrigações formais como principais motivos para a manifestação. No entanto, antes de decidir pela greve, os sindicatos vão enviar aos embarcadores um pedido de revisão das tarifas, corresponsabilizando os tomadores dos serviços de cargas pela falência do transporte.

Sitran