06/05/2014 11h13

"Nada do que foi será". Projeto que regulamenta o Comércio Ambulante, s

Compartilhe


O projeto de autoria do vereador Robertinho Magalhães (PMN) que regulamenta o comércio ambulante no Município de Cascavel, aprovado em primeira votação ontem (05), será retirado de pauta na sessão de logo mais da Câmara de Vereadores de Cascavel.

EXPLICAÇÕES
O projeto em discussão, terá modificações garantiu o autor da proposição. Segundo o vereador Magalhães, após a aprovação em primeira votação, abriu o debate na sociedade. A ACIC (Associação Comercial e Industrial de Cascavel) através de seus representantes, conversaram com o vereador nesta manhã e algumas adequações serão realizadas no projeto. Serão colocadas emendas para que a licença para o exercício da atividade ambulante, seja melhor distribuída, informou o autor do projeto.

FAST FOOD
O vereador Jorge Bocasanta (PT), já havia manifestado ontem, que colocaria uma emenda no projeto em seu art. 6º que trata do exercício da atividade ambulante, para que os ambulantes do segmento de lanches, não pudessem ter mais do que um comércio na cidade. Haja vista para não transformar o comércio ambulante em uma "Rede" ou "Franquia" de Fast Food. a emenda não possibilitaria um mesmo trabalhador ambulante, possuir mais de um comércio de lanches na cidade.

OUTRAS ADEQUAÇÕES
A ACIC também indicará algumas emendas no projeto através do próprio autor. Segundo Magalhães, a Entidade irá trabalhar junto com o Legislativo na adequação da Lei, para que tanto o comércio quanto os ambulantes tenham possibilidades de trabalhar sem prejuízos às partes.


06/05/2014 09h21

Presidente da União Comunitária de Cascavel bota a "boca no trombone"

Compartilhe


O presidente da Unicom (União Comunitária de Cascavel), Isoel Hamud ao fazer uso da Tribuna da Câmara de Vereadores de Cascavel na manhã de ontem (5) durante a sessão ordinária, criticou os vereadores por serem omissos quanto aos últimos acontecimentos que envolve a saúde do Município.

UPA PEDIÁTRICA
O imbróglio originou quando na discussão sobre a UPA Pediátrica que deixará o antigo Hospital Santa Catarina. Como não há local definido pelo poder público municipal para onde vai a UPA Pediátrica, Conselhos e Associações de Moradores discutem e debatem o assunto semanalmente. Todavia, é salutar relatar que muitas das reuniões, não se chega a um consenso entre as partes. Na última reunião, o plenário onde estava sendo debatido o assunto, foi esvaziando aos poucos até não dar quórum na votação.

OMISSOS
Durante o pronunciamento do presidente da UNICOM, Isoel Hamud, ele criticou os vereadores alegando falta de objetividade na discussão para que se resolva o problema. "Eles estão omissos, estão fazendo vistas grossas", disse Isoel, direcionando sua reclamação aos vereadores, tanto da situação, independentes como os da oposição.

CPI
O presidente Isoel criticou severamente a situação da CPI da Saúde que ora está em andamento, disse que fiscalizaram as Unidades Básicas de Saúde do Floresta e Los Angeles, que estão em situação caótica, mas não tomaram providências. Não pediram o fechamento dessas Unidades. Chegou ao ponto de Hamud indagar os jornalistas no sentido de: "eles levariam suas esposas nessas UBSs para fazer exames?".

O TROCO
Bastou o encerramento de Hamud na Tribuna para que os vereadores se manifestassem. Todos que usaram a palavra, rebateram o discurso de Isoel Hamud, Gugu Bueno, Frare, Haveroth, Pacheco dentre outros. Todavia, o que se viu foi o Rebate das críticas, mas sem apontar solução para o caso em específico da UPA Pediátrica!


06/05/2014 09h19

Parquímetros em Cascavel podem estar na "mira" do Ministério Público

Compartilhe


Ainda não houve manifestação por parte do Ministério Público do Estado, porém há indicativos de que os PARQUÍMETROS instalados na cidade de Cascavel podem estar próximo de serem banidos do município.

RUMORES
Há rumores de que os aparelhos instalados no município para captação de recursos do EstaR (Estacionamento Regulamentado), não vêm atendendo as exigências constitucionais. Vereadores protocolaram requerimento junto a Secretaria da Câmara, solicitando ao Presidente encaminhamento de questionamentos junto ao INMETRO e ao IPEM.

SOLICITAÇÃO
1 - Solicitam ao INMETRO e ao IPEM se há ou não modelo de aprovação destes parquímetros instalados na Cidade de Cascavel?

2 - Solicitam se há obrigatoriedade na fiscalização dos mesmos por parte dos órgãos?

3 - Solicitam se os referidos aparelhos que muitas vezes aceita moeda e não computa o tempo, deixando o usuário sem ressarcimento do valor depositado no "cofrinho" do aparelho?

PROTOCOLO
Deste modo, além do requerimento endereçado ao INMETRO e IPEM, o caso pode chegar ao MP. Casos semelhantes já aconteceram em outros municípios brasileiros, como em Dourados/MS e Goiânia/GO, em que o Juiz pediu a suspensão do funcionamento desses "caça-níqueis", por entender que os aparelhos são lesivos ao consumidor.


30/04/2014 11h08

Dia de "provação" na Câmara de Vereadores de Cascavel

Compartilhe


Iniciou cedo na Câmara de Vereadores de Cascavel a "provação" dos uniformes que a Câmara licitou ainda no mês de dezembro de 2013. Cinquenta e oito servidores concursados da Câmara deverão usar os uniformes durante horário de expediente. Com custos de mais de R$ 23 mil servidores da Câmara passarão a prestar o serviço devidamente uniformizados. Todavia vale lembrar que um dos itens do lote 4 custará R$ 197,83, isto daria para adquirir no mercado de marcas uma bela camisa social.

Aproveitando o ensejo das provações em que 58 funcionários estão 1 por 1 fazendo provas das novas vestes, também estão tendo a oportunidade de conhecer a mesa de granito na antessala que custou mais de R$ 25 mil e a cafeteira eletrônica para servir cafezinho também na antessala do plenário, adquirida pelo valor de R$ 6.395,00. Com as imagens a população poderá também conhecer as aquisições feitas pela Câmara e que até agora não há explicações sobre os motivos que levaram a mesa diretora a adquirir tais produtos.


29/04/2014 11h11

Parquímetros em Cascavel! Ainda um caso sério para ser resolvido

Compartilhe


No início, quando das instalações dos parquímetros em Cascavel, vislumbrava que seria um projeto que resolveria o problema da rotatividade e baixo custo aos usuários do EstaR (Estacionamento Regulamentado). Passaram os dias, mês e próximo a completar um ano, e o que se vê, são problemas e mais problemas para o usuário. Enquanto isso, a Cettrans e a empresa concessionária dos parquímetros, vão embolsando o dinheiro do contribuinte.

CONTRATO
O contrato da Cettrans com a empresa Tecnopark (concessionária dos parquímetros), foi alterado quanto a porcentagem de parquímetros que poderão dar problemas durante o dia, uma vez que não havia esta cláusula no contrato quando assinado. De todo modo, a empresa passou a adequar-se ao sistema, porém, continuam os parquímetros dando transtornos aos usuários.

REQUERIMENTO
Em 13 de março deste ano, há exatos 45 dias, os vereadores Rui Capelão (PPS), Jorge Menegatti (PSC), Walmir Severgnini (PROS) e o vereador autor do requerimento, João Paulo (PSD) requereram junto ao Presidente da Câmara, para que este encaminhasse oficio à Tecnopark, informações a cerca do funcionamento e homologação pelo INMETRO dos Software dos parquímetros? Qual o modelo de homologação aprovado pelo INMETRO? Quantos parquímetros estão em funcionamento no município? Dentre outras solicitações.

SEM RESPOSTA
Até o momento a empresa não atendeu a solicitação dos vereadores, "continuamos sem resposta", declarou o proponente do requerimento, vereador João Paulo (PSD).

REALIDADE
A empresa teve suspenso seus recebimentos durante o mês de março, até que os problemas do sistema fossem sanados, todavia, já para o mês de abril, ela volta a receber o aluguel dos "caça níqueis" de Cascavel. A realidade é uma só: implantam um sistema que não funcionam adequadamente como deveria, a empresa faz de conta que presta o serviço adequado, a Cettrans faz de conta que fiscaliza, enquanto isso o usuário do EstaR (Estacionamento Regulamentado), que se (F....).

PREJUÍZO
A Cettrans alega que a arrecadação do Estacionamento Regulamentado de Cascavel não ultrapassa a casa dos R$ 150 mil/mês, mais que regulamentação é essa que não há vagas nas cerca de 4.000 vagas do EstaR? A conta é fácil de fazer: 26 dias no mês, alugando 5 horas por dia cada vaga, teremos 130 horas por vaga alugadas por mês! Multiplica-se 130 hs x 4.000 vagas, teremos 520.000 horas/vagas alugadas, por mês. Multiplicando as 520.000 horas por R$ 1,50, o valor arrecadado nas 4.000 vagas do EstaR deveria ser em torno de R$ 780 mil/mês. Então deduzimos, ou o EstaR dá prejuízo, ou a contabilidade não está batendo. Também pode estar ocorrendo uma má fiscalização por parte da Cettrans.

QUEM GANHA?
A pergunta é: Quem ganha com essa parafernália instalada com o nome de "PARQUÍMETRO" em Cascavel? Empresa, Cettrans ou o Usuário do sistema EstaR?


25/04/2014 13h13

Mandado de Segurança será protocolado nesta tarde para volta de Bebber

Compartilhe


O defensor do vereador Paulo Bebber (PR), disse a este colunista que vai protocolar no Fórum de Cascavel na tarde desta sexta-feira (25), um Mandado de Segurança para que Paulo Bebber volte a exercer o cargo de vereador.

Retorno

Hélio Ideriha Junior vai pedir o retorno de Bebber a cadeira de vereador, devido ao afastamento feito na semana passada pelo presidente da Casa de Leis Márcio Pacheco (PPL). O vereador retornou a Câmara para assumir a vaga em que estava licenciado (a pedido), e após uma hora recebeu comunicado de seu afastamento. Diante desses fatos e por entender que a vaga é do vereador a defesa entrará com o pedido do Mandado de Segurança.

Confusão

O imbróglio está cada dia mais difícil de ser resolvido. Ora utilizam o Regimento Interno da Câmara para tomar as decisões, ora utilizam o Decreto 201/67. Sem falar na Lei 9.504/97 que revogou parte do artigo 7º em que dava poder ao presidente utilizar deste mecanismo para afastar Bebber.


25/04/2014 12h59

Mais rolo e confusão no caso Paulo Bebber

Compartilhe


O vereador Gugu Bueno (PR) deve protocolar logo mais na Comissão Processante da Câmara de Vereadores de Cascavel, documento que se dispõe a ser testemunha no caso Paulo Bebber (PR) no suposto pedido de propina.

A defesa indicou três vereadores como testemunhas: Jorge Menegatti (PSC), Márcio Pacheco (PPL) e Gugu Bueno (PR), todavia o presidente da Comissão Processante, Rui Capelão (PPS) não acatou o pedido feito pela defesa de Bebber. Baseado na decisão de Capelão e como advogado e vereador, Gugu Bueno disse a reportagem da Catve que vai protocolar o documento solicitando sua participação conforme indicado pela defesa, porque entende que se não o fizer estará indo contra o direito constitucional da ampla defesa e do contraditório.

Veja a entrevista concedida a repórter Kharina Guimarães para a Catve.


24/04/2014 16h00

Advogado de Bebber diz que cerceamento da defesa "fere de morte" o dire

Compartilhe


O processo de cassação do vereador Paulo Bebber (PR) que tramita na Câmara Municipal de Cascavel, parece estar longe de um ponto final. Depois da resposta da Comissão de não acatar as indicações da defesa no que tange as testemunhas e os extratos das contas telefônicas, eis que o advogado de defesa do vereador, dr. Helio Ideriha Jr, declarou a este colunista que, este tipo de cerceamento, "fere de morte" o direito constitucional e que a defesa ficará prejudicada, enquanto os acusadores, possuem todos os documentos solicitados em mãos.

VEJA A ENTREVISTA:


24/04/2014 14h58

Vereador Capelão, poderá ter mais uma vez "Nino" frente a frente nas oi

Compartilhe


Fabiano Raduntz, citado na gravação do caso Paulo Bebber sobre o valor de R$ 150 mil, prestou depoimento na 7ª Promotoria do Patrimônio Público da Comarca de Cascavel nesta manhã (24). Questionado sobre a citação de seu nome na gravação (áudio), ele admitiu ser a pessoa citada.

"NEGÓCIOS"

Não entrou em detalhes, mas informou que possui "negócios" com Bebber e que o valor citado na gravação é a respeito de uma Comissão de R$ 300 mil, referente a venda de uma área próximo ao Bairro Floresta. E que este valor seria dividido entre ele e Paulo Bebber, caso a área de cerca de oito (8) alqueires fosse negociada. Assim, cada um receberia R$ 150 mil de comissão sobre a venda, avaliada em cerca de R$ 6 milhões.

A ÁREA

A vida é mesmo uma "caixinha de surpresa". Vejam só: 14 anos se passaram e o presidente da Comissão Processante do caso Bebber, vereador Rui Capelão (PPS) não se livrou totalmente do "Nino". Eis que a área em questão no Bairro Floresta e que fora citada o valor de R$ 150 mil de comissão, é de propriedade de Nino Pastori, causador da quase cassação de Capelão em 2001. Processo que tramitou na Câmara, em que Capelão foi absolvido.


RELEMBRANDO

O assunto de cassação de Capelão na época, foi porque o vereador assinou documento à Nino, garantindo uma assessoria ao "cabo eleitoral", caso fosse eleito. Como não cumpriu com Nino o prometido, o caso virou processo de cassação na Câmara de Vereadores de Cascavel na ocasião. Agora, Nino aparece novamente citado, em questões opostas ao caso de 2001. Mais que o Rui não escapou ainda de Nino, parece ser fato concreto!!!


24/04/2014 07h42

Eduardo Campos em entrevista ao Programa Bate Rebate no PR - Bloco 3

Compartilhe


O pré-candidato a presidência da República, Eduardo Campos, esteve em Cascavel nesta quarta-feira (23), onde participou de uma reunião na AMOP (Associação dos Municípios do Oeste do Paraná), depois também visitou a Câmara de Vereadores de Cascavel, e foi recebido por lideranças partidárias da região oeste do Paraná.

O principal foco da fala de Eduardo Campos foi a necessidade de transformações políticas: "todos os institutos de pesquisa apontam que mais de 70% dos brasileiros irão votar pela mudança nas próximas eleições", assegurou o candidato. Para ele, o Paraná também precisa de um novo estilo de governo, pois as velhas brigas políticas do estado não fazem jus ao povo paranaense.


Luiz Nardelli
Casado com Margaret S. Nardelli, pai de Tarlliza Romanna Nardelli e Leonardo Romanno Nardelli, nasci em Paraíso do Norte (PR) e há de 39 anos moro em Cascavel (PR).

Este sou eu: Luiz Nardelli, 52 anos, técnico em estatística atuando como profissional da imprensa desde 2004. Graduado em Comunicação Social com ênfase em Jornalismo e pós-graduado em assessoria de imprensa. Iniciei a profissão como colunista político no jornal A Tribuna de Cascavel.

Desde então são 13 anos carimbando opiniões em impressos como: Extra Paraná, jornal Gazeta do Paraná, Jornal O Estado do Paraná-Curitiba, A Tribuna de Cascavel e no semanário Manchete Popular.

Atualmente com uma coluna no Portal, catve.com/luiz-nardelli . Em programas de TV, integrei o programa Sala de Debates com o legendário (in-memórian) Joel Damásio e o polêmico Laerson Matias no Canal 21/Catve. No Grupo Catve estou há mais de 11 anos como apresentador do programa Sala de Debates e posteriormente com o Bate Rebate e EPC.

Atualmente divido a bancada do programa EPC (Esporte, Política e Cidadania) na Catve/FM 91.7 e Catve/TV, transmitido das 18 às 19 horas diariamente. No EPC tenho a parceria de Jorge Guirado, diretor do Grupo de Comunicação Catve e Geraldo Magela.

Jornalista, repórter, apresentador, locutor, comunicador. Do que depender deste profissional, informações, opinião e notícias não faltarão aos leitores, ouvintes, telespectadores e nas Redes Sociais. Espero você aqui!

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 40 41 42 43 44 45 46 47 48 49 50 51 52 53 54 55 56 57 58 59 60 61 62 63 64 65 66 67 68 69 70 71 72 73 74 75 76 77 78 79 80 81 82 83 84 85 86 87 88 89 90 91 92 93 94 95 96 97 98 99 100 101 102 103 104 105 106 107 108 109 110




COPYRIGHT CATVE.TV | 2011 - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS MOBILE READY