17/11/2014 13h38

Vereadores de Cascavel demonstram serem omissos em fiscalizar o erário

O comunicado chegou semana passada no Legislativo cascavelense

Compartilhe


O Tribunal de Contas do Paraná indicou irregularidades na contratação de "advogados", assessores jurídicos na Câmara de Cascavel. O comunicado chegou semana passada no Legislativo cascavelense e a Procuradoria já manifestou junto ao Presidente Marcio Pacheco que exonere pelo menos três "advogados" contratados por nomeação.

FATO
O fato que gerou o apontamento do TCE/PR à Câmara de Cascavel se deu por motivos óbvios, um advogado de concurso e quatro por nomeações, ou seja, a equiparação do número de concursados é muito inferior aos cargos de nomeações. Como existe apenas um concursado no Legislativo para a função, também deveria ter sido somente uma nomeação para o cargo de assessor Jurídico, o que não ocorreu no início desta Legislatura, rompendo inclusive o acordo - TAC (Termo de Ajustamento de Conduta) -, assinado pelo presidente anterior com o Ministério Público Estadual da Comarca de Cascavel.

QUEM PAGA?
Certo ou errado, o importante é saber quem vai pagar a conta desta irregularidade. Serão os gestores ou mais uma vez é a população quem vai arcar com o prejuízo? Se o TCE indicou irregularidade e a Câmara acatou, já que houve pronunciamento de que nesta semana o presidente irá exonerar três advogados, resta também saber se os cofres do Legislativo cascavelense serão ressarcidos pelo ato das irregularidades apontadas pelo TCE.

VEREADORES
Alguns vereadores e ex-vereadores estão respondendo na Justiça por terem nomeados assessores e pagos com o erário em outra legislatura. Se o processo do passado que tramita na Justiça, pede a devolução do dinheiro gasto com as nomeações por parte de quem nomeou, seria justo o Ministério Público fazer o mesmo também neste caso, para que os cofres públicos também fossem ressarcidos, não é?

OMISSÃO
Pelo andar da carruagem, mais uma vez os vereadores cascavelenses vão colocar panos quentes em cima desta história. Mesmo com a irregularidade apontada pelo TCE, não se vê manifestação por parte dos vereadores para criar uma Comissão processante. Investigar o que de fato ocorreu, e, o porquê ocorreu, é importante, já que o TAC (Termo de Ajuste de Conduta) assinado pelo ex-presidente da Casa, não fora cumprido.

CORAGEM
Mais como diz o velho ditado: "Manda quem pode, obedece quem tem juízo". Deste modo, nossos vereadores não têm "coragem" para pedir a abertura de uma Comissão Processante, esbravejam de um lado, do outro, mais colocam o rabo entre as pernas e continuam fazendo de conta que são fiscalizadores, e o povo fazendo de conta que tem representante na Câmara de Cascavel. Mais uma "pedalada" na população por parte dos vereadores, caso não propuserem a criação de uma comissão processante para que os cofres sejam ressarcidos e o culpado pelas nomeações, pague a conta!!!




12/11/2014 16h18

Nem tudo que brilha é ouro na Câmara de Cascavel

Três advogados devem ser exonerados segundo o TCE

Compartilhe


A tão propagada transparência administrativa na Câmara de Vereadores de Cascavel, caiu por terra e por água na data de hoje (12).

O Tribunal de Contas do Estado do Paraná atendendo ao Ministério Público do TCE, indicou que a Câmara de Cascavel terá de exonerar 3 advogados que prestam assessorias com cargo de nomeação ao legislativo cascavelense. Indicou também prazo para que a direção da Câmara exonere imediatamente 3 advogados comissionados, uma vez que, tende a ver equiparação de cargos de nomeação com cargos de concurso. Como a Câmara de Vereadores possui apenas um procurador jurídico concursado, não há possibilidade alguma de ter mais quatro assessores jurídicos, e sim, apenas mais um para equiparar o quadro funcional da procuradoria, ou seja, a Câmara de Cascavel no mandato do presidente Marcio Pacheco possivelmente administrou de forma irregular o quadro funcional jurídico do legislativo. Pois desde o início da legislatura um procurador e quatro assessores jurídicos fizeram e receberam para prestar serviço a Câmara de Cascavel.

PROVIDÊNCIAS
O procurador Pascoal Muzelli Neto questionado pelo portal catve.com disse que todas as providências, depois que recebeu a indicação do TCE, estão sendo tomadas, e que a Câmara irá exonerar 3 dos quatro assessores jurídicos da procuradoria e, informará ao Tribunal de Contas e ao Ministério Público do TCE, sobre a decisão. Caso a Câmara não se adequasse as indicações poderá responder o presidente pela não aprovação das contas do biênio 2013/2014.

Por Luiz Nardelli Reportagem: Lindiagane Silveira- Departamento de Jornalismo Catve








11/11/2014 09h41

Vereador Marcos Rios denunciado por peculato pelo promotor de Justiça

Ele deverá exonerar todos os assessores de seu gabinete

Compartilhe


por Luiz Nardelli - Reportagem de Fernanda Toigo - departamento de jornalismo da CATVE

A Câmara Municipal de Cascavel passa por momentos difíceis nesta legislatura, hoje (11) mais uma bomba estourou no legislativo cascavelense.

PECULATO E CONCUSSÃO
O vereador Marcos Rios (SD) foi denunciado pelo promotor de Justiça, Sérgio Ricardo Machado, por crime de peculato acontecido em tempos passados. Diante deste fato o juiz Leonardo Ribas Tavares acatou a denúncia e sentenciou:

EXONERAÇÃO
A sentença prolatada pelo juiz é para que no prazo de 5 dias o vereador Marcos Rios exonere todos os assessores de seu gabinete.

DEFESA 10 dias para defesa
O vereador Marcos Rios disse que irá acatar a ordem judicial até a próxima sexta-feira (14), e irá exonerar seus atuais quatro assessores de gabinete. E na sequência irá entrar com recurso para rever a situação, já que dos assessores citados no processo, nenhum deles faz mais parte da assessoria desta legislatura. Ele tem cinco dias para cumprir a ordem e os envolvidos 10 dias para protocolarem a defesa.




05/11/2014 08h50

Catuaí: "nós precisamos agir diante do risco"

O procurador Thales Fernando Lima participou do Programa Bate Rebate

Compartilhe


O procurador da República, Thales Fernando Lima, participou na última segunda-feira (3) do programa Bate Rebate, na CATVE, com Sérgio Ricardo e Luiz Nardelli.
E o assunto em pauta foi a instalação do Shopping Catuaí em Cascavel e, como anda a situação da obra, ou melhor, o que levou ao embargo e paralisação das obras. Qual o real motivo? O que aconteceu? O que vem por aí? O que pode acontecer? Confira o terceiro bloco:

"Eu repeti aqui várias vezes. A lei de uso e manuseamento do solo diz que só pode ser construído na área empreendimentos de até 200 metros quadrados, o shopping Catuaí tem 8 mil metros quadrados".

"Esbarrou na lei municipal. Desde 2010 foi feita uma recomendação ao IAP. Ela já levou em conta a lei municipal na recomendação. Quem decide é quem faz a lei".

"Veja, a gente tem que agir diante da possibilidade, não estou dizendo que vai gerar um impacto, nós precisamos agir diante do risco".




05/11/2014 08h42

Catuaí: "desenvolvimento econômico não pode ser feito a qualquer custo"

As palavras são do procurador da República, Thales Fernando Lima no Bate Rebate

Compartilhe


O procurador da República, Thales Fernando Lima, participou na última segunda-feira (3) do programa Bate Rebate, na CATVE, com Sérgio Ricardo e Luiz Nardelli.
E o assunto em pauta foi a instalação do Shopping Catuaí em Cascavel e, como anda a situação da obra, ou melhor, o que levou ao embargo e paralisação das obras. Qual o real motivo? O que aconteceu? O que vem por aí? O que pode acontecer? Confira o segundo bloco:

"Um erro não pode justificar o outro. Se ali tem fosse, é um queijo suíço, não serve de fundamento para que o MPF seja impedido de tomar uma ação". "Quem é interessado em rever que provoque o MPF".

"A cidade precisa realmente de shopping, quem não gosta? Shopping gera renda, emprego. Mas quero deixar bem claro, o desenvolvimento econômico não pode ser feito a qualquer custo".








05/11/2014 08h35

Catuaí: "MPF havia feito recomendação sobre a obra"

Procurador Thales Fernando Lima participou do programa Bate Rebate

Compartilhe


O Procurador da República, Thales Fernando Lima, participou na última segunda-feira (3) do programa Bate Rebate, na CATVE, com Sérgio Ricardo e Luiz Nardelli.

E o assunto em pauta foi a instalação do Shopping Catuaí em Cascavel e, como anda a situação da obra, ou melhor, o que levou ao embargo e paralisação das obras. Qual o real motivo? O que aconteceu? O que vem por aí? O que pode acontecer? Confira o primeiro bloco.

"Toda a questão envolvendo o Shopping começou em 2010, quando a colega que me antecedeu, ao aprofundar as investigações na época foi constatado que o impacto da obra no zoológico, ou seja, na fauna na região e também nos lençóis freáticos ali na área. Diante disso foi expedido uma recomendação ao IAP para que não autorizasse a obra, no início disseram que iriam acolher essa recomendação, mas a obra acabou sendo licenciada. E na época foi entrado com a ação civil pública pedindo a suspensão da obra".

"As autoridades envolvidas na autorização desse empreendimento sabiam desde o início que o MPF havia feito uma recomendação para que a obra não fosse iniciada".

"A questão das nascentes é uma das, o principal seria o espaço que não comporta uma obra daquele porte, na verdade no local é liberado apenas por lei municipal somente empreendimentos de até 200 metros quadrados".




04/11/2014 18h09

Plenário cheio, cabeças vazias e vereadores com discursos acalorados

Ou seja, promessa de campanha ser cumprida depois que se elegem!

Compartilhe


Em Cascavel, Basta estar com o plenário cheio para alguns dos vereadores se transformarem em verdadeiros representantes do povo.

LÍDER DO GOVERNO
Quando na votação da emenda do vereador Jorge Bocasanta (PT) no PPA, o líder do Governo na Câmara , vereador Gugu Bueno, usou da palavra e, fez "aquele" discurso em prol da gestão do Executivo, sem não antes, alfinetar o vereador Bocasanta que é oposição ao "time" de Gugu na Câmara.

OUTRO
Outro que usou a palavra para enaltecer a gestão pública e tentou explicar o inexplicável, foi o vereador Luiz Frare (PDT) que saiu do executivo municipal (secretário de finanças na gestão passada), mais parece que o executivo municipal não saiu dele.

O PAVÃO
Como "pavonisse" pouca é bobagem, a Câmara de Cascavel tem criado alguns "pavões" e parece que tem dado certo, basta ver o último pleito. (kkkk). Mesmo assim, Rui Capelão (PPS) que está vereador mesmo estando inelegível até 2015, aproveitou a Casa cheia para descer o porrete no executivo Municipal, chegando ao ponto de arrancar aplausos pelo discurso de "bom moço" que realizou. "Quem não conhece a história, que o compre!".

SOMENTE PALAVRAS
Mesmo com discursos de defesa da não construção por parte do time da base, e, discursos dos opositores, intitulados como "dignos" representantes da população, o certo mesmo é que o Hospital Municipal, mesmo tendo declarações do secretário da Saúde do Estado, Micheli Caputo, no Bate Rebate da Catve de que sairia, vai ficar mesmo para 2016, isso se acontecer de fato. Ou seja, promessa de campanha ser cumprida depois que se elegem! Aguardemos os desdobramentos...

Por: Luiz Nardelli. Reportagem: Tátila Pereira Departamento de Jornalismo









04/11/2014 16h51

Casa cheia: Câmara diz a população que Hospital não sai em 2015

A emenda para construção ano que vem é do vereador Jorge Bocasanta (PT)

Compartilhe


O que parecia certo, já não é mais. O hospital Municipal de Cascavel, tão propagado durante a campanha eleitoral de 2012, pelo candidato, Edgar Bueno e pelo governo do Estado, por enquanto, está apenas na intenção de ser construído.

PPA
Na semana passada, durante o programa Bate Rebate da Catve, o presidente da Comissão de Economia e Finanças da Câmara de Vereadores de Cascavel, vereador Claudio Gaiteiro (PSL) declarou que os recursos para inicio da construção do Hospital Municipal, não esta previsto no PPA para 2015, sendo assim, não há como dar parecer favorável a emenda do vereador Jorge Bocasanta (PT) na LDO (Lei de Diretrizes Orçamentária) para 2015 que está sendo votada na Câmara.

LDO
O vereador Jorge Bocasanta teve sua emenda com parecer contrário na primeira sessão realizada segunda-feira (03), quando foi rejeitada a emenda pelos vereadores em plenário.

OUTRA EMENDA
Não satisfeito com o que lhe foi apresentado na primeira sessão, o vereador Jorge Bocasanta protocolou outra emenda para a sessão de hoje (04), desta vez, tentou o vereador antecipar as verbas destinadas para construção do Hospital, previsto no PPA para 2016, trazendo para a 2015. Mesmo assim, teve a emenda do PPA, rejeitada.

SÓ PARA 2016
Deste modo, não adianta espernear, gritar, urrar, esbravejar, o que temos na realidade, são apenas intenções de nossos gestores - municipal e estadual -, de que um Hospital Municipal será construído em Cascavel. Será?





31/10/2014 10h04

64 emendas foram protocoladas para inclusão na LDO de 2015

LDO está na Câmara para ser aprovada

Compartilhe


A LDO (Lei de Diretrizes Orçamentárias) do Município de Cascavel para o ano de 2015 que está na Câmara para ser aprovada, recebeu 64 protocolos de emendas dos vereadores.

COMISSÃO DE FINANÇAS
Após análises da Comissão de Finanças e orçamento do Legislativo Cascavelense, 13 das emendas protocoladas receberam pareceres contrários. Motivo: Segundo o presidente da Comissão, vereador Claudio Gaiteiro (PSL) algumas contém erros técnicos, outras são incompatíveis com o PPA (Plano PluriAnual 2014/2017) conforme o artigo 166, paragrafo 4º da Constituição Federal.

RETIRADA
Das 64 emendas protocoladas, uma foi retirada a pedido do autor, 13 com pareceres contrários e 50 com pareceres favoráveis e que deverão ir a plenário para aprovação ou não.




29/10/2014 17h17

TCE dá parecer pela aprovação das contas da Câmara de Cascavel de 2012

Dois presidentes responderam pela administração naquele ano

Compartilhe


A DCM (Diretoria de Contas Municipais) do Tribunal de Contas do Paraná, deu parecer pela regularidade das contas da Câmara Municipal de Cascavel do exercício de 2012. Dois presidentes responderam pela administração naquele ano: Marcos Damaceno (PDT) e Robertinho Magalhães (PMN).

DESAPROVADA I
As contas do exercício de 2012, teve duas desaprovações. Segundo o TCE, na primeira vez foi devido a Câmara não cumprir os dispositivos da Lei 131/2009 que dispõe sobre o lançamento das informações financeiras e orçamentárias em tempo real no SITE do Legislativo.

DESAPROVADA II
A segunda desaprovação por conta da DCM, que informou quando na desaprovação, que o SITE não estava cumprindo o que rege a LEI, lançar em tempo real todas as informações financeiras e orçamentárias da Câmara Municipal, mesmo que a Câmara tenha feito a defesa explicando.

TERCEIRO RECURSO
Segundo fontes do TCE, quando na terceira verificação, percebeu-se que ocorreu falha na fiscalização do próprio Tribunal na verificação dos lançamentos das informações no SITE da Câmara de Cascavel. Com o recurso da defesa enviada pela Câmara e pelos ex-presidentes, Marcos Damaceno e Robertinho Magalhães na terceira vez, a DCM acabou comprovando que as informações em tempo real no SITE da Câmara haviam sido disponibilizadas na época.

PARECER DE REGULARIDADE
Deste modo, após analisar o terceiro recurso e comprovar que ocorreu uma falha na verificação na época, acabou a DCB dando parecer de opinião pela regularidade das contas do ano de 2012 da Câmara Municipal de Cascavel.

NA CÂMARA
Segundo informações, o parecer informando a aprovação das contas do exercício de 2012 da Câmara Municipal de Cascavel, deverá chegar no Legislativo cascavelense ainda esta semana!!!




Luiz Nardelli
Casado com Margaret S. Nardelli, pai de Tarlliza Romanna Nardelli e Leonardo Romanno Nardelli, nasci em Paraíso do Norte (PR) e há de 39 anos moro em Cascavel (PR).

Este sou eu: Luiz Nardelli, 52 anos, técnico em estatística atuando como profissional da imprensa desde 2004. Graduado em Comunicação Social com ênfase em Jornalismo e pós-graduado em assessoria de imprensa. Iniciei a profissão como colunista político no jornal A Tribuna de Cascavel.

Desde então são 13 anos carimbando opiniões em impressos como: Extra Paraná, jornal Gazeta do Paraná, Jornal O Estado do Paraná-Curitiba, A Tribuna de Cascavel e no semanário Manchete Popular.

Atualmente com uma coluna no Portal, catve.com/luiz-nardelli . Em programas de TV, integrei o programa Sala de Debates com o legendário (in-memórian) Joel Damásio e o polêmico Laerson Matias no Canal 21/Catve. No Grupo Catve estou há mais de 11 anos como apresentador do programa Sala de Debates e posteriormente com o Bate Rebate e EPC.

Atualmente divido a bancada do programa EPC (Esporte, Política e Cidadania) na Catve/FM 91.7 e Catve/TV, transmitido das 18 às 19 horas diariamente. No EPC tenho a parceria de Jorge Guirado, diretor do Grupo de Comunicação Catve e Geraldo Magela.

Jornalista, repórter, apresentador, locutor, comunicador. Do que depender deste profissional, informações, opinião e notícias não faltarão aos leitores, ouvintes, telespectadores e nas Redes Sociais. Espero você aqui!

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 40 41 42 43 44 45 46 47 48 49 50 51 52 53 54 55 56 57 58 59 60 61 62 63 64 65 66 67 68 69 70 71 72 73 74 75 76 77 78 79 80 81 82 83 84 85 86 87 88 89 90 91 92 93 94 95 96 97 98 99 100 101 102 103 104 105 106 107 108 109 110 111 112




COPYRIGHT CATVE.TV | 2011 - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS MOBILE READY