18/03/2013 16h37

Regimento Interno é pauta de reuniões

Compartilhe


Ainda o Regimento Interno da câmara de Vereadores de Cascavel, é, e está sendo o único objeto que faz com que vereadores se reúne para juntos, tentarem entender o "livreto". O assunto agora gira em torno de um artigo que orienta os edis de que o vereador uma vez assinado uma preposição, não poderá mais retirar a assinatura. A interpretação é dúbia? Penso que não, mas para alguns vereadores pode ser! Bem, neste caso, Paulo Porto não poderia ter retirado a assinatura do requerimento que subscreveu pedindo a criação da CPI das pedras. É nisso que estão se apegando! {risos}.



18/03/2013 16h29

Aprovado em primeira votação REFIC em Cascavel

Compartilhe


Há pouco foi aprovado por unanimidade de votos em primeira votação na Câmara de Vereadores de Cascavel o projeto de Lei do executivo chamado REFIC. O anteprojeto que beneficia os munícipes cascavelenses com descontos dos juros do IPTU atrasados, vão de 100% de descontos para pagamento a vista. 60% para parcelamento em12 vezes e 30% para parcelamento em 24 vezes. Amanhã o projeto volta a plenária para a 2ª votação.



18/03/2013 16h19

Calmaria na Câmara de Vereadores de Cascavel

Compartilhe


Nesta segunda-feira, a Calmaria tomou conta da Câmara de Vereadores de Cascavel. Há tempos não se via uma Câmara tão vazia e sem reuniões nos gabinetes. Apenas assessores em seus gabinetes, poucos vereadores também foram vistos por lá. Depois de alguns dias que foram denúncias e mais denúncias de supostas irregularidades cometidas, ora no campo Regimental das sessões realizadas no ano passado, ora na interpretação do Regimento Interno. Hoje pela manhã tudo calmo.

LIMPA GAVETAS
Aproveitando a calmaria da manhã desta segunda-feira, o ex-diretor Técnico Legislativo, Mario Galavotti limpou as gavetas e em algumas caixas, retirou seus pertences do gabinete. Segundo o próprio Galavotti, está cada dia mais difícil de acontecer sua volta ao Legislativo. Comentários dão conta de que as denúncias de supostas irregularidades cometidas nas sessões legislativas do ano passado, a culpa é dele. Mas Galavotti assegura: "eu não "mandava" na Câmara, eu apenas executava a parte que me cabia".

RUMORES
Segue o ritual de que está quase certo a indicação de um nome para ocupar o cargo de Diretor Legislativo no lugar de Galavotti. Muitos querem ser convidados para o posto, mas apenas um é quem comandará a Diretoria Legislativa. O nome não vazou ainda, mas as especulações giram em torno de um nome bem conhecido da política nativa.



15/03/2013 15h35

Entre uma música e outra, o "baile" vai rolando na Câmara de Vereadores

Compartilhe


Tendo em vista a desobediência ao Rito Regimental nos últimos tempos em Cascavel, saiu hoje no Diário Oficial do Município, o extrato de divulgação da criação da CPI das Pedras. Nela consta o nome dos participantes desta que, deverá ser uma das mais comentadas dos últimos anos.

RETIRADA DO NOME
Ontem (14), o vereador Marcos Rios (PDT), ensaiou e até chegou protocolar na secretaria da Câmara, oficio retirando o nome do requerimento de pedido da criação da CPI. O protocolo possui data de 14/03/2013 as 17:25 hs. Embora Rios tenha tido esta atitude, explicou a este colunista de que a retirada é devido não ter sido consultado pelos subscreventes do pedido, se ele, Marcos Rios, gostaria de participar da Investigação.

DIÁRIO OFICIAL
Neste vai e vem de interpretações de Regimento, o presidente da Câmara, Marcio Pacheco, se precavendo e seguindo as normativas do Regimento Interno, já havia protocolado junto a prefeitura e ao Órgão Oficial do Municipio, o extrato de publicação no diário oficial. O protocolo é datado do dia 14 às 14 horas e alguns minutos. deste modo, ficou impossibilitado a retirada do nome de Marcos Rios do requerimento pedindo a criação da CPI da Pedras.



14/03/2013 17h57

Boatos são de que a CPI das Pedras pode não existir

Compartilhe


Boatos que circularam na Câmara e nos celulares no fim desta tarde (14), foi de que o vereador Marcos Rios (PDT) um dos que subscreveu o pedido da criação de uma CPI para investigar a retirada de pedras da BR 163, por parte da prefeitura de Cascavel, vai retirar sua assinatura do requerimento solicitando a criação da CPI.

CAUSAS
A retirada segundo os boatos são devido a retirada também do nome da CPI do vereador Paulo Porto (PC do B), para que pudesse ser membro da Comissão de Investigação que fora criada em reunião com 19 vereadores na manhã de ontem (13). Na reunião ficou acertado de que a retirada do nome de Paulo Porto poderia fazer com que ele pudesse participar da CPI sem maiores problemas com o Regimento Interno, o que foi acatado, e mesmo não tendo fumaça branca na Câmara de Vereadores, Paulo Porto além de membro da CPI foi guinado a relator do processo de investigação.

RUMORES
Os rumores da retirada do nome de Marcos Rios (PDT) do pedido de CPI é por que ele também gostaria de participar como membro da comissão, e não fora consultado neste quesito quando da escolha do nome daqueles que subscreveram a CPI, e assim como não houve consulta a Rios e tão pouco consulta na retirada do nome de Paulo Porto se sentiu excluído do grupo que subscreveu a criação da CPI, e não quer mais ser um dos vereadores que solicitaram a criação da CPI das Pedras.

CONFIRMADO
Há pouco este colunista entrou em contato por telefone com o vereador Marcos Rios, e esse lhe disse: "estou indo para uma reunião com o presidente do Legislativo na Câmara Municipal, caso seja confirmado que Paulo Porto retirou o nome para ser membro eu também vou retirar o meu". Continuou: "me ligue daqui a pouco que eu lhe direi o que fiz".

CÂMARA ALEGA
O presidente da Câmara Municipal de Cascavel, Márcio Pacheco, informou a este colunista por telefone e na presença do procurador jurídico Pascoal Muzeli, que já foi instaurado a CPI pelo Legislativo. Os nomes ficaram assim: Claudio Gaiteiro - presidente; Paulo Porto - relator; e Paulo Bebber - membro.

EM TEMPO
A instauração que ocorreu na manhã de hoje com os nomes definidos e tudo como manda o Regimento Interno, já foi enviado ao Diário Oficial do município para que seja publicado. Assim sendo a retirada do nome de Marcos Rios neste momento se entende que ainda a CPI das Pedras pode dar muito o que falar neste resto de semana, e quiçá a próxima, caso ele realmente oficialize a retirada de seu nome na reunião que acontece nesse momento.



13/03/2013 17h19

Sessão "suspeita" aumenta 24 cargos na Câmara de Cascavel

Compartilhe


Mais um projeto votado ao apagar das luzes na Câmara de Cascavel em 2012 está com vícios de origem. A reportagem da CATVE apurou e leva a público assim como a denúncia ao presidente Márcio Pacheco de mais uma irregularidade cometida nas sessões legislativas em 2012. O projeto de resolução nº 10/2012 que dispunha sobre a alteração nos dispositivos da resolução de nº 12 de 2011, foi aprovada sem a declaração do ordenador de despesa do impacto orçamentário para 2013. O projeto original propunha a criação do cargo de assessor especial do Programa Câmara Jovem, mas durante a sessão do dia 18 de dezembro uma emenda assinada por vários vereadores mudou o projeto original. Uma emenda alterou os dispositivos do artigo 3º - anexo III da resolução nº 12, aumentando de 15 assessores especiais de gabinete para 21, e de 45 assessores parlamentares para 63. Tudo isto estaria correto se tivesse a declaração do impacto orçamentário.

TAC ASSINADO
A Câmara de Vereadores em 2012 assinou um TAC (Termo de Ajustamento de Conduta) com o Ministério Público de que, até 31 de dezembro do mesmo ano os servidores concursados e de livre nomeação haveria uma igualdade proporcional, ou seja, 50% efetivos e 50% nomeados. E com esse disparate de aumentar os assessores de livre nomeação infringe o TAC assinado junto ao Ministério Público.

EXPLICAMOS
Segundo o ordenador de despesa do Legislativo cascavelense em 2012, Ailton de Souza, o orçamento para 2013 foi feito em base na resolução de número 12, que dispunha de 79 cargos de livre nomeação, 86 cargos efetivos e 5 cargos em confiança, e que, teria de ter reduzido um assessor parlamentar por gabinete de cada vereador, trazendo de 45 para 42 e convocando os oficiais legislativos de concurso para assumir o posto de um assessor concursado em cada gabinete. Ailton de Souza disse a CATVE que não conhecia tal projeto de resolução aprovado, pois na data da aprovação ele estava em licença da Câmara de Vereadores.

DESRESPEITO
Para alguns advogados e também ao próprio ordenador de despesas da Câmara esta lei fere o rito regimental da Casa de Leis, pois, além de não possuir a declaração de despesas do impacto orçamentário ainda não respeitou o TAC da igualdade de cargos em comissão e de concurso.

AS ESCURAS
O projeto aprovados as escuras a suspeição de que fora feito de modo a não divulgar tal ato, pois os pareceres das comissões de justiça e redação, da comissão de economia, finanças e orçamento, e da comissão de trabalho e legislação social são datados como lido em 19 de dezembro de 2012, ou seja, um dia após a aprovação do projeto.

SESSÃO EXTRAORDINÁRIA
O projeto de resolução de nº 10 foi aprovado em primeira votação no dia 18 na sessão ordinária, e em segunda sessão extraordinária, porém, não existe na ata da sessão ordinária a convocação dos vereadores para que o projeto de resolução nº 10 pudesse ter sido votado em sessão extraordinária, até porque já existe jurisprudência de que toda sessão extraordinária tem que ser convocada 24 horas antes da realização da mesma, e nem na ata da sessão ordinária houve a convocação, daí mais um motivo para esta sessão do aumento de cargos de nomeação na Câmara não ter validade.

DENÚNCIA
A CATVE entregou a denúncia de irregularidades no projeto de resolução de 18 de dezembro de 2012 ao presidente da Câmara de Vereadores, Márcio Pacheco, (conforme o vídeo) para que este tome as devidas providências e que faça valer o Regimento Interno, e a Constituição Federal.



13/03/2013 12h08

Querendo ou não vereadores da base terão que engolir a CPI das Pedras,

Compartilhe


Acabou neste momento na Câmara de Vereadores de Cascavel a reunião entre os vereadores para definir os nomes que irão compor a CPI das Pedras. Com o entendimento dos vereadores que propuseram a CPI foi retirado o nome do vereador Paulo Porto, PC do B, da proposição para que este pudesse ser membro da Comissão Parlamentar de Inquérito dando assim um consenso com os demais vereadores da base e independente. Claudio Gaiteiro do PSL e Paulo Bebber, PR, serão os nomes que irão compor a CPI. Preliminarmente ficou definido entre os 19 participantes da reunião que Claudio Gaiteiro será guinado a presidente, Paulo Porto relator e Paulo Bebber, membro. Ainda há confirmar, pois Paulo Bebber não participou da reunião, assim como Marcos Rios, PDT.

PAULO PORTO
Após a saída da sala de reuniões Paulo Porto declarou a este colunista que "mesmo entendendo que os nomes que subscreveram o pedido da CPI para investigar a retirada das pedras da BR 163, poderiam participar normalmente da comissão pois são proponentes e não denunciantes", resolveram junto aos demais 7 proponentes que a retirada do nome de Paulo Porto seria a ação mais adequada para que não acontecesse rumores de desavenças no campo jurídico.



12/03/2013 17h37

CASCAVEL: Uma cidade onde Vereadores "ENVERGONHAM" seus cidadãos

Compartilhe


A nossa querida Cascavel, com apenas 61 anos de idade, cidade ainda pacata no interior do Paraná, sofre pela "ignorância" política de alguns "senhores do Feudo" - aqueles senhores que mandava e desmandava na política e em seus empregados-. Pois bem, a Câmara de Cascavel, em pleno século XXI ainda vive o "feudo".

CIDADE DAS ÁGUAS
Na primeira gestão do prefeito Edgar Bueno 2001/2004, foi implantada a cidade das águas. Passado quatro anos, eis que em 2009 Edgar voltou a comandar o município novamente, porém, o projeto das cidades das águas, não prosseguiu com tanta ênfase. Reeleito, o que se espera era que a cidades das águas, voltasse a ser um mote de benefícios nos bairros de Cascavel, mas nada disso aconteceu. A cidade das águas, perdeu espaço.

CIDADE DAS "PEDRAS"
Para quem esperava que Cascavel vivesse nesta gestão, o codinome de cidade das Águas, se decepcionou, primeiros atrativos de projetos irregulares, foi transformar a nossa pacata cidade, de "cidade das águas" em "cidade das pedras". A retirada das pedras da BR 163 sem a devida autorização do órgão federal competente, confirmada pelo secretário de obras e prefeito em exercício, Mauricio Theodoro, na ocasião em que esteve no plenário da Câmara explicando a ação, virou assunto em rodas de conversas, nas manchetes de jornais, na mídia local, estadual e nacional.

DENUNCIANTE
Depois dos fatos, e, a confirmação do próprio envolvido na retirada das pedras da BR 163, Mauricio Theodoro, no plenário da Câmara, eis que uma CPI fosse proposta pelos vereadores. Oito assinaturas subscreveram o pedido de criação da CPI das "pedras", tudo para investigar o fato, embora, tal denúncias de irregularidades já havia sido denunciado no Ministério Público e na Polícia Federal.

REGIMENTO INTERNO
Mais uma vez o Regimento Interno da Câmara não consegue ser objeto Regimental, ou nossos vereadores são "incompetentes" para analisar sem preocupação com o "paço Municipal", como deve seguir na criação de uma CPI.

NÃO PODE
Segundo os vereadores "Gugu Bueno (PR), Luiz Frare (PDT), Rômulo Quintino (PSL) e Rui Capelão (PPS),usaram a palavra para informar os "OTÁRIOS" que estavam na sessão de hoje na Câmara, de que, quem subscreveu o pedido de investigação, ou seja, a criação de uma CPI, não pode participar da Comissão que contará com três vereadores. Ora, os vereadores que subscreveram, no entendimento deste leigo no "Direito", mas conhecedor de como funciona o "time da base", não há outra explicação a não ser, estes vereadores que NÃO querem que os proponentes da criação da CPI (1/3´) dos 21 vereadores (7 no mínimo) façam parte para investigar o que aconteceu de irregularidades.

BRINCADEIRA TEM HORA
A base do prefeito de Cascavel, trabalha na Câmara como se o Regimento fosse algo que só tem a interpretação deles, ou seja, favorecer o Executivo em tudo! Não menosprezando a capacidade legislativa de nenhum dos membros da "BASE", vejo que a defesa feita por estes de que, os vereadores proponentes em criar a CPI, são impedidos de participar como membros na Comissão designada para investigar, pois, no entendimento destes "manipulados vereadores, a assinatura da proposição, é uma denúncia, e como o Regimento enfatiza de que o vereador denunciante não poderá participar da CPI, é no mínimo caso para o MINISTÉRIO PÚBLICO intervir, ou então que rasguem de vez este Regimento Interno que aí está, e vamos acatar tudo o que o Executivo Municipal "MANDAR", porque estes "coitados" que se dizem representantes do povo, nada mais são do que meros coadjuvantes legisladores de Cascavel!

VERGONHA
Para uma Câmara, eleita para acabar com as parefernalhas que existiam, está muito cedo para já declinarem quem serão, pois, ser "pau mandado" do Executivo, não precisaria então de mudanças que ocorreram, apenas a população teria de manter os "incapacitado$" que estiveram na Legislatura passada, pois os vícios protecionistas deles ao Executivo, a população já conhecia.



11/03/2013 17h38

Protocolo junto a secretária da Câmara

Compartilhe


Depois de muito disse-disse, a secretaria da Câmara Municipal recebeu o pedido de protocolo para criar a CPI das "pedras". A CPI vai investigar a retirada de pedras do asfalto da BR 163, ocorrida no final do mes de Janeiro e, que tem a declaração de Mauricio Theodoro, secretário de Obras e Prefeito no exercício da função na época, quando na sua presença na Câmara semana passada, de que não possui e não possuiu autorização do órgão federal para a retirada do asfalto, mesmo que tenha sido feita, para aplicação no aeroporto Municipal de Cascavel.



11/03/2013 17h31

CPI das "pedras" foi protocalada hoje

Compartilhe


Foi protocolado há pouco, na secretaria da Câmara de Vereadores de Cascavel, requerimento assinado por 8 vereadores pedindo a criação de CPI para investigar retirada de pedras da BR 163. O requerimento deverá ser lido na sessão de amanhã.



Luiz Nardelli
Casado com Margaret S. Nardelli, pai de Tarlliza Romanna Nardelli e Leonardo Romanno Nardelli, nasci em Paraíso do Norte (PR) e há de 39 anos moro em Cascavel (PR).

Este sou eu: Luiz Nardelli, 52 anos, técnico em estatística atuando como profissional da imprensa desde 2004. Graduado em Comunicação Social com ênfase em Jornalismo e pós-graduado em assessoria de imprensa. Iniciei a profissão como colunista político no jornal A Tribuna de Cascavel.

Desde então são 13 anos carimbando opiniões em impressos como: Extra Paraná, jornal Gazeta do Paraná, Jornal O Estado do Paraná-Curitiba, A Tribuna de Cascavel e no semanário Manchete Popular.

Atualmente com uma coluna no Portal, catve.com/luiz-nardelli . Em programas de TV, integrei o programa Sala de Debates com o legendário (in-memórian) Joel Damásio e o polêmico Laerson Matias no Canal 21/Catve. No Grupo Catve estou há mais de 11 anos como apresentador do programa Sala de Debates e posteriormente com o Bate Rebate e EPC.

Atualmente divido a bancada do programa EPC (Esporte, Política e Cidadania) na Catve/FM 91.7 e Catve/TV, transmitido das 18 às 19 horas diariamente. No EPC tenho a parceria de Jorge Guirado, diretor do Grupo de Comunicação Catve e Geraldo Magela.

Jornalista, repórter, apresentador, locutor, comunicador. Do que depender deste profissional, informações, opinião e notícias não faltarão aos leitores, ouvintes, telespectadores e nas Redes Sociais. Espero você aqui!

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 40 41 42 43 44 45 46 47 48 49 50 51 52 53 54 55 56 57 58 59 60 61 62 63 64 65 66 67 68 69 70 71 72 73 74 75 76 77 78 79 80 81 82 83 84 85 86 87 88 89 90 91 92 93 94 95 96 97 98 99 100 101 102 103 104 105 106 107 108 109 110 111 112




COPYRIGHT CATVE.TV | 2011 - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS MOBILE READY

Maio Amarelo