18/11/2016 22h49

Trabalhista! E agora? - Os funcionários podem ser revistados na saída?

Compartilhe


No quadro "Trabalhista! E agora?" desta semana do programa EPC, o juiz federal do Trabalho Marlos Melek, sanou mais dúvidas a respeito da legislação trabalhista.

A dúvida é se a empresa pode revistar os funcionários no momento da saída do trabalho.

Segundo o juiz, a empresa não pode realizar esse tipo de prática, já que o contrato de trabalho é regido pelo princípio da boa fé. "O empregador, o patrão, ele tem o poder de direção, administração e controle sobre o trabalho do empregado. Mas quando ele revista, está exercendo um poder que ele não tem, que é o de polícia. Portanto, quem é revistado na saída pode processar a empresa e pedir dano moral", explica o juiz.

AUTOR

Marlos Augusto Melek é juiz federal do trabalho, pós-graduado em Administração de Empresas, formado em Aviação Civil na função de Comandante, é comendador pelos estados do Paraná, Mato Grosso, Mato Groso do Sul e Pará.



16/11/2016 19h04

EPC: Álvaro Dias fica sozinho na luta pelo fim do foro privilegiado

Compartilhe


O senador Alvaro Dias compareceu à CCJ e aguardou o início da sessão, quando seria votada a PEC que acaba com o foro privilegiado. Entretanto, a reunião foi cancelada pelo presidente e adiada para a próxima semana

Apesar disso ele avaliou como positiva a falta de quórum na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania. Para Alvaro Dias, com o adiamento haverá mais tempo para mobilizar a sociedade contra esse tipo de privilégio que não deve ser mais aceito e que representa, na verdade, a existência de "uma casta". O senador afirmou que os cidadãos não querem apenas mudança na administração do país, mas exigem alterações na cultura política, nos métodos de ação e no sistema de governança,




12/11/2016 07h20

Trabalhista! E agora? Danos e multas podem ser descontados do salário?

Compartilhe


No quadro "Trabalhista! E agora?", o programa EPC, o juiz federal do Trabalho Marlos Melek, esclarece mais uma dúvida dos funcionários.

A pergunta é se o empregador pode descontar do salário danos ocasionados durante o trabalho, como por exemplo, multas de trânsito.

De acordo com o juiz, isso é possível desde que tenha sido previsto no contrato de trabalho.

Autor

Marlos Augusto Melek é juiz federal do trabalho, pós-graduado em Administração de Empresas, formado em Aviação Civil na função de Comandante, é comendador pelos estados do Paraná, Mato Grosso, Mato Groso do Sul e Pará.



09/11/2016 18h12

Cascavel 65 anos, homenagem da Catve

Compartilhe


Uma homenagem da Catve aos 65 anos de Cascavel, comemorado neste 14 de novembro.

















08/11/2016 10h43

Trabalhista! E agora? Faltar no trabalho para cuidar dos filhos

Compartilhe


Dando continuidade ao quadro "Trabalhista! E agora?" do programa EPC, o juiz federal do Trabalho Marlos Melek esclarece mais uma dúvida comum, principalmente entre os empregados.

Afinal, os trabalhadores podem faltar no trabalho para acompanhar o filho no médico?

Conforme o juiz, a lei mudou recentemente e possibilita que o trabalhador falte apenas uma vez ao ano para acompanhar o filho no médico, no entanto, a lei se aplica apenas se a criança tiver no máximo seis anos de idade.

Autor

Marlos Augusto Melek é juiz federal do trabalho, pós-graduado em Administração de Empresas, formado em Aviação Civil na função de Comandante, é comendador pelos estados do Paraná, Mato Grosso, Mato Groso do Sul e Pará.




01/11/2016 00h05

Trabalhista! E agora? - Folga remunerada

Compartilhe


O juiz federal do trabalho Marlos Melek esclarece mais uma dúvida sobre as regras trabalhistas no quadro "Trabalhista! E agora?", do programa EPC.

A dúvida desta semana é se o empregado pode ter um dia de folga para doar sangue.

O juiz esclarece que isso pode ser feito e o dia não pode ser descontado do salário do trabalhador, incluindo outras situações. "A CLT, de 1943, prevê uma série de situações em que o empregado pode faltar ao trabalho e não ter o dia descontado. Isso inclui a morte de um familiar próximo, a licença-gala, que é o casamento, o afastamento por doença, com a apresentação de atestado médico, entre outros", afirma Merlak.

Dúvidas sobre as leis trabalhistas podem ser enviadas para o epc@catve.com.br, que serão respondidas aqui no blog do Jorge Guirado e no programa EPC a cada semana.

Autor

Marlos Augusto Melek é juiz federal do trabalho, pós-graduado em Administração de Empresas, formado em Aviação Civil na função de Comandante, é comendador pelos estados do Paraná, Mato Grosso, Mato Groso do Sul e Pará.



25/10/2016 16h14

Trabalhista! E agora? - O contrato de trabalho

Pelo Juiz Federal do Trabalho, Marlos Augusto Melek

Compartilhe


O juiz federal do trabalho Marlos Melek esclarece mais uma dúvida sobre as regras trabalhistas no quadro "Trabalhista! E agora?".

Nesta semana, a dúvida da vez é de um empregador: além de assinar a carteira, é importante criar um contrato a parte com o empregado?

Segundo Marlos Melek, isso é fundamental. "É muito importante ter um contrato escrito além da anotação que você faz na carteira de trabalho do seu empregado. Isso vale tanto para o empregador de serviços, indústria ou de comércio, como até para o empregador domestico. Porque no contrato a parte, por mais simples que ele seja, vai reduzir a dúvida no futuro e os riscos da contratação". No livro, o juiz trabalhista trás um modelo simples de contrato.

"Lá tem tudo que precisa constar: remuneração, tarefas, se o empregado pode ser transferido, se pode descontar danos ou não causados pelo empregado", detalha.

Dúvidas sobre as leis trabalhistas podem ser enviadas para o epc@catve.com.br, que serão respondidas aqui no blog do Jorge Guirado e no programa EPC.

Autor

Marlos Augusto Melek é juiz federal do trabalho, pós-graduado em Administração de Empresas, formado em Aviação Civil na função de Comandante, é comendador pelos estados do Paraná, Mato Grosso, Mato Groso do Sul e Pará.



13/10/2016 17h42

Trabalhista e agora? O Caminho das Pedras

por Juiz Federal do Trabalho, Marlos Augusto Melek

Compartilhe


Linguagem fácil, sem juridiquês, compreensível tanto por patrões quanto por os empregados.

Sem citar uma lei, artigo ou súmula, sem juridiquês, os comentários ensinam o "caminho das pedras" para evitar condenações na Justiça do Trabalho fazendo o que é certo e preservando o direito dos empregados.

Toda semana, aqui no Blog do Jorge Guirado, respostas para temas relevantes. Dúvidas podem ser enviadas para o EPC@catve.com.br

Autor

Marlos Augusto Melek é juiz federal do trabalho, pós-graduado em Administração de Empresas, formado em Aviação Civil na função de Comandante, é comendador pelos estados do Paraná, Mato Grosso, Mato Groso do Sul e Pará.



23/09/2016 12h18

O que aconteceu com nosso Futsal? - por Jorge Guirado

Compartilhe


Meus caros, se posso dizer que sou apaixonado por alguma coisa, com certeza o futsal é uma delas. E isso é desde os tempos que dei meus primeiros bicudos naquela bola pesada lá na quadra da SABBI em Londrina. Eu vi jogar por muito tempo Mineiro, Milton Sciapina, Lau, Tigrão, Valdemir, Tuca, Massami, Riba, Mexicano (Pai do Giba do Voleibol), Nicola, Tiãozinho, Fuzil. Vi todos jogarem no Monções, no Country ou na Cacique de Londrina. TIMAÇOS!

Vi os irmãos Clóvis e Clodoaldo de Apucarana. O Itamar Tagliari de Campo Mourão. Vi o Danilo e o Fininho da Inpacel. Vi o Leonel do Sumov, Douglas, Jackson, Murruga, Manoel Tobias. Aqui vi Saulo, Cafu, Poeta, vi o Rita Lee, Anderson, Gadeia, o baixinho Fred fazer gols como gente grande, vi Aladinho, Donny, Adeirton e tantos outros brilharem nos títulos Paranaenses.

Claro vi a hegemonia de muito tempo da Malwee com o craque FALCÃO, como vi a Perdigão, Banespa, Inpacel, Sumov e Banfort.

Transmito jogos de Futsal desde 1980. Narrando para a Tarobá, para o BandSports, para uma Rede formada no sul-americano da Argentina pela Record, Guaíba, Curitiba e outras.

Os campeonatos Sul-americanos realizados em Videira e Blumenau pela Rede Manchete.

Sem contar as inúmeras gerações de imagens para a Sportv, Globo, Band entre tantas.

Mas, ultimamente ando meio "desenchavido" com o futsal, não sei, anda meio esquisito.

No âmbito nacional a Confederação Brasileira de Futsal há pouco tempo sofreu intervenção, afastaram diretores e até o presidente. No estado do Paraná de igual forma. A Justiça nomeou um interventor.

Em âmbito local não existe nenhuma entidade, nem Liga, nada. Embora as inúmeras quadras e torneios de Futsal. Dois times na cidade, um sempre aos trancos e barrancos, sem recursos financeiros acabou caindo para a Série Prata. O outro time, pentacampeão paranaense, esteve envolvido em problemas com a justiça. Teve CNPJ cassado por decisão judicial, perdeu jogos por W.O. na Liga Nacional e na Série Ouro.

Ao paranaense conseguiu retomar o campeonato graças a intervenção da Prefeitura e da Câmara de Cascavel. Uma lei, aprovada a toque de caixa, aproveitou uma brecha da decisão judicial. O time que nos últimos 12 anos sempre esteve nas decisões, fez dois clássicos em casa, com outros campeões Marechal e Guarapuava e o público foi mínimo.

Plateia de treino para um campeão. Agora a Seleção Brasileira cai no Mundial ainda nas Oitavas de Final. Perde para o Irã.

Difícil falar, pois quem comenta em Rede nacional enaltece uma vitória sobre a Seleção de Moçambique por 15 gols e "endeusam" uma vitória no amistoso contra as Ilhas Salomão.

Eu penso que temos de enaltecer "nosso produto" claro que sim, mas, cá para nós: os jogadores desta seleção da Melanésia na Oceania ao serem entrevistados depois de uma reza ao final do jogo disseram que "não tem quadra para treinar", "treinam num piso de cimento" sendo as linhas marcadas com giz, sequer possuem tênis. Como enaltecer uma goleada desta então?

O Futsal, assim como o Futebol, deixa de ser nossa hegemonia, justamente pelo intercâmbio, pelos brasileiros que buscam ganhar melhor em outras paragens e por lá foram jogar, seja na Rússia, Irã, Uzbequistão, Itália, então perder para eles ou para uma das mais forte que é a Espanha não será mais surpresa. No entanto será que não está na hora de mudarem um pouco a linha de pensamento, as manifestações, os apoios, a forma de divulgar e promover este esporte que genuinamente Brasileiro ainda nem conseguiu entrar nas Olimpíadas. Algo deve estar caminhando errado. Nas Olimpíadas já tem até Golfe, na próxima já teremos Surfe, além de outros esportes que muito pouca gente conhece.

O que está acontecendo com o nosso Futsal que tem pelo país milhares de escolinhas para garotada a partir de 4, 5 anos de idade? As Federações e as Confederações esqueceram da base? Não ajudam?

Campeonatos regionais existem, o que falta? Apoio? Acompanhamento? Melhor estrutura?

Será que não somos "nós", os profissionais de imprensa, os culpados que enchemos a bola, enaltecemos, endeusamos sem muito critério, sem muito cuidado? Não é de se pensar????

Sempre falamos que o "FUTSAL é nosso". Mas será que estamos cuidando do que é "nosso" ou vamos perder o rumo como o Futebol ???




05/09/2016 11h05

Futsal está de volta - por Jorge Guirado

Compartilhe


Depois de todo o problema envolvendo o Cascavel Futsal e a Fundeavel - fato que quase acaba com uma das maiores histórias de títulos de nosso Futsal de forma melancólica - o Campeonato do Paranaense retoma o andamento da Série Ouro 2016, com o início da Segunda fase.

O Cascavel sempre foi um dos favoritos ao título, mas perdeu jogadores importantes e ainda para ajudar não teve condições financeiras de reforçar o grupo neste momento importante da competição. Ao que parece, pela fraca campanha que fez na LIGA e também na primeira fase, vai jogar com a "CAMISA" de cinco vezes campeão para tentar melhor sorte na competição.

Guarapuava que também perdeu jogadores, - dentre eles o craque Adeirton - Umuarama e Marechal, claro são outros tradicionais favoritos ao título de 2016. Ainda deve-se juntar neste grupo o Marreco do técnico Fabinho, que vem numa crescente ao longo da primeira fase e também da LNF, e ainda o Ponta Grossa de bela campanha na primeira fase que chegou em primeiro. Ponta Grossa - que não poupou investimentos - é comandado pelo campeoníssimo Técnico Baiano que ao lado de Nei Victor são os maiores detentores de títulos no salonismo Paranaense.

A CATVE mostra ao vivo, em HD, para toda a área de cobertura e aqui no portal CATVE.COM um dos maiores clássicos do estado : Cascavel x Marechal sábado (10) a partir das 18h45 direto do Ginásio da NEVA. Estarei ao lado de OTIL BANDEIRA nesta transmissão. Prestigie.

No dia 17 tem Cascavel X Guarapuava às 18h45.

Abaixo a tabela oficial da Federação Paranaense de Futsal com os grupos e formas de classificação. Tabela que ainda pode sofrer alguns ajustes nas datas e horários.






Jorge Guirado
A frente da Catve, Jorge está desde 2004, mas essa história começou bem antes. Em 1979, o apresentador tem suas primeiras experiências em televisão com a implantação da TV Tarobá, emissora na qual teve o cargo de diretor geral por 21 anos, lá idealizou em 1994 e realizou até 2003 o Dia da Bondade em Cascavel, Londrina, Foz do Iguaçu e por último em Toledo.

Na filial da Band, criou e colocou no ar vários programas. Apresentou os Programas, Melhor da Rodada e Placar de Opiniões. Sua carreira na Band também inclui a criação e implantação da TV Tarobá de Londrina inaugurada em 1996, a qual dirigiu por sete anos.
As narrações de jogos na afiliada da BAND passam pelos Campeonatos Gaúcho e Paranaense de Futebol, Copa Libertadores da América, Chave Ouro, Sul americano de Seleções de Futsal e Liga Futsal.
Em grandes coberturas da Band, Jorge participou da equipe de produção nas Copas do Mundo de 1986, 1990 e 1994, e ainda, nas Olimpíadas de Los Angeles e Atlanta.
Jorge foi diretor de imagens durante eventos como Stock Car, Fórmula Truck, Carnaval do Rio de Janeiro e da Bahia, e em três etapas brasileiras do Mundial de Motovelocidade, imagens estas destinadas a Dorna TV, que distribui o sinal das corridas para 180 países.
Com serviços para a Band, SBT, Globo e Espn, durante 20 anos foi diretor de imagens dos Campeonatos Brasileiro de Futebol, Copa dos Campeões, Copa do Brasil, Libertadores da América, Pré-olímpico de Futebol, Liga Mundial de Voleibol e Copa América de Futebol realizada uma no Paraguai e outra na Bolívia.

Dirigiu também as 3 etapas da Fórmula INDY realizadas no Rio de Janeiro com transmissões para ABC e ESPN INT dos EUA, Band e SBT e o Panamericano de Basquetebol em Montevidéu no Uruguai.
Durante cinco anos dirigiu imagens da Fórmula 3 Sul americana para Espn Internacional na Argentina , Uruguai e Brasil, as etapas brasileiras da World Series e da WTCC, entre outras categorias do automobilismo nacional.

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14




COPYRIGHT CATVE.TV | 2011 - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS MOBILE READY