02/11/2016 23h05

Viaje de carro pelo Chile e Argentina - por Douglas Zubéldia

Compartilhe


Fim de ano chegando e muitos que moram na região Oeste do Paraná e até mesmo Brasil adentro pensam em viajar de carro pela América do Sul. Mas com isso surgem muitas dúvidas, sobre a documentação e itens obrigatórios em cada um dos países.

Após uma boa pesquisa e ter vivido a experiência, escrevi esse post para ajudar aqueles que pretendem se aventurar de carro pela Argentina e Chile.

Para entrar nos dois países de carro, é necessário que o documento esteja em seu nome. Caso o carro seja financiado e através do leasing, onde o documento sai em nome do banco e fica arrendado, será necessário pedir uma documentação que é feita em Brasília. Se esse não for o seu caso, você terá que ter o seguro carta verde, que é exigido na Argentina e é feito em qualquer seguradora no Brasil. O contrato é feito por determinados períodos e com valores diferentes, de acordo com o veículo e a seguradora.

Para acessar o Chile, o seguro se chama SOAPEX e que pode ser feito e pago online com cartão de crédito internacional, nesse link: https://www.hdi.cl/venta. Ao acessar, clique no ícone "Seguros" e depois em "Comprar SOAPEX em línea" em seguida siga os passos.

Informações do veículo:

Patente: placa do veículo (duas vezes);
Seleccione país de registro del veículo: Brasil;
Tipo de Vehículo: Automóvel, Motocicleta, Camioneta;
Fecha Início: data de início do seguro ou data que entrará no Chile;
Fecha Término: data final ou de saída do Chile.

Depois de concordar com o valor apresentado, complete com as demais informações sobre o veículo e o condutor:

País de Nacionalidad: Brasil
Tipo Identificación: identidade ou passaporte
Nº Identificación: nº da identidade ou passaporte
Marca: Marca do veículo
Modelo: modelo do veículo
Número de Motor
Año: ano de fabricação do veículo

Na página seguinte, os dados para contato:

Correo Electrónico: e-mail
Teléfono: 55(DDD)(telefone)

Marque as duas caixas aceitando as condições e você será direcionado para uma página onde poderá pagar a despesa com cartão de crédito internacional. O comprovante para porte é um certificado em espanhol emitido pelo site.

Para 10 dias de viagem, eu paguei cerca de $ 10.

ITENS OBRIGATÓRIOS

Depois da documentação, vêm os itens obrigatórios no veículo, que são eles:

Argentina:
Cinto de segurança;
Dois triângulos;
Extintor de incêndio;
Cambão ou cabo de aço para reboque;
Kit de primeiros socorros;
Cadeirinhas e assento de elevação para crianças;
Faróis baixos sempre ligados, é lei por lá.

Chile:
Cinto de segurança;
Dois triângulos;
Cadeirinhas e assento de elevação para crianças;
Faróis baixos sempre ligados.

No mais, respeite as leis de trânsito, que você não terá problema com os policiais.

Boa viagem a todos e espero ter ajudado!












06/10/2016 11h36

Cascavelenses vão às Vias Históricas de São Paulo

Vias escolhidas foram a Cresta, Normal do Baú e Learning To Fly

Compartilhe


Foram oito horas de dedicação, entre escaladas, parada para refeição e, claro, quase nenhum descanso. Foi assim mais um Desafio das Vias Históricas enfrentado pelos cascavelenses Roberto, Douglas e Monique.

Desta vez, em São Paulo, a montanha escolhida foi a Pedra do Baú, onde três vias foram escaladas: a Cresta, Normal do Baú e a Learning To Fly. A escalada teve início às 10h30 e foi finalizada 11h. Apenas 30 minutos e a via Cresta foi completada.

Em seguida, os escaladores entraram na Normal do Baú, às 11h20 e, em uma hora, chegaram ao topo de 50 metros de altura.

Pausa para a refeição e preparo para um desafio ainda mais exigente: a via Learning To Fly. Com 50 metros, a via é considerada de grande desafio, pois não existem proteções fixas e exige muita técnica dos escaladores, que utilizam a escalada em fenda com colocação de proteções móveis no trajeto.

Desafio finalizado às 15h40 e, com tempo suficiente, o trio aproveitou e retornou à base da via Paredão Tudo Bem, desafio que foi interrompido no mês de setembro devido à chuva. Após duas horas, a via foi finalizada às 18h20 e fechou o quarto dia de escalada em São Paulo.



















21/09/2016 17h56

Desafio Vias Históricas: escaladores cumprem nova etapa

Desta vez a paisagem foi em São Bento do Sapucaí, em São Paulo

Compartilhe


Foram oito horas de escalada. Três vias concluídas, a quarta só faltou um "tiquinho", mas a chuva atrapalhou os planos.

Os escaladores cascavelenses participaram de mais uma edição do Desafio das Vias Históricas. Desta vez a paisagem paradisíaca foi na Montanha Bauzinho em São Bento do Sapucaí, em São Paulo.

A primeira via escalada foi a Galba Ataíde com 150 metros, considerada a mais demorada pelo trio Douglas, Roberto e Monique.

Depois foi a vez da Fissura Cornete com 60 metros, considerada a mais exigente tecnicamente.

A terceira via foi a do Bauzinho com 50 metros e mesmo com a chuva o trajeto foi concluído.

Como se não bastasse, os atletas ainda tinham fôlego para mais um desafio. A via Paredão Tudo Bem quase foi desbravada, mas como a chuva aumentou, a descida de rapel foi a única alternativa.

Pra gente que não pratica escalada pode ser difícil, mas para esses escaladores um novo desafio é sempre bem-vindo, e as paisagens, ah as paisagens, elas com certeza são um dos motivos de tanta dedicação.






















24/08/2016 09h34

17º encontro de escalada em Londrina

Compartilhe


Os escaladores cascavelenses participaram neste fim de semana do 17º encontro de escalada em Londrina.

Os atletas participaram não só da escalada. Teve também slackline, highline e Base Jump.

O encontro foi no Recanto Pinhão, na Serra do Cadeado em Mauá da Serra e reuniu 258 pessoas.No primeiro dia os atletas foram recebidos pela chuva, mas quem decidiu se arriscar pode contemplar as belas paisagens com os pingos de chuva.

Já no domingo, o sol apareceu meio tímido, mas foi o suficiente para a galera se animar e curtir um dia de escalada.

Lembrando que nossos cascavelenses tiraram uma folguinha do Desafio das Vias Históricas que vai até novembro.















17/08/2016 18h51

Desafio das Vias Históricas: Douglas e Roberto escalam vias no Marumbi

Compartilhe


A cada etapa um novo desafio, uma meta a ser cumprida! Mas para os dois atletas cascavelenses o que não falta é disposição, ainda mais quando estão praticamente em casa.

Em mais uma etapa do Desafio das Vias Históricas, os escaladores Roberto Lazzari Junior e Douglas Zubéldia encararam as vias do Conjunto Marumbi, localizado na Serra do Mar.

A equipe que é patrocinada pelo Portal Catve escalou as vias Cristal Negro com 120 metros e a via Passagem Oeste de 160 metros, ambas na montanha Abrolhos.

E a paisagem é de tirar o fôlego. Das 13 vias que precisam ser escaladas no Paraná, os cascavelenses já estiveram em cinco- consideradas as mais "tranquilas".

Daqui pra frente o grau de dificuldade só aumenta. Já que, as vias que vem agora são mais demoradas e demandam mais tempo.

E como se não bastasse o Desafio das Vias Históricas, os escaladores irão participar do 17° encontro de escalada de Londrina que acontece nesse fim de semana em Mauá da Serra onde irão encarar as diversas via esportivas da Serra do Cadeado.

São cerca de 200 escaladores de todo o país. Aos cascavelenses a nossa torcida.









11/08/2016 15h10

Desafio das Vias Históricas: Começa mais uma etapa

Sábado e domingo equipe da Catve encara vias no Conjunto Marumbi

Compartilhe


A dupla cascavelense segue neste fim de semana para mais uma etapa do Desafio das Vias Históricas.

A escalada será feita no Conjunto Marumbi, localizado na Serra do Mar no Paraná. A equipe que é patrocinada pelo portal Catve encara este projeto desde início de julho e a meta é a superação.

A intenção é percorrer o máximo de escaladas até novembro. No sábado e domingo eles percorrerão as vias Cristal Negro com 120 metros - conquistada em 1987- e a via Passagem Oeste de 160 metros - conquistada em 1949.

As duas vias ficam na montanha Abrolhos dentro do conjunto Marumbi que teve o pico alcançado em 1879 por Joaquim Olímpio de Miranda liderando um grupo de escaladores paranaenses. Além do desafio físico e psicológico, os esportistas aprendem um pouco sobre a história das primeiras escaladas das gerações passadas.

Até agora o esforço valeu a pena. Os montanhistas de Cascavel a Douglas Zubéldia, Roberto Lazzari Junior e Monique Moura garantiram a melhor pontuação no Desafio das Vias Históricas.

Foram 10 vias escaladas entre o Rio de Janeiro e Paraná. Os cascavelenses fizeram 690 pontos ficando em primeiro lugar no mês de julho.






































05/08/2016 17h57

Atletas do Triatlhlon se destacam em competições

Compartilhe


Os três atletas que levam o nome da 2ª edição do Eco Triathlon que será realizada em Cascavel estão conquistando medalhas por onde passam em diversas competições pelo o Brasil.

No último mês os triatletas, participaram de três desafios: o primeiro foi o Cross Duathlon realizado em Cascavel. A Melania Giraldi foi campeã geral no feminino e o Franciney Rogrigues venceu o geral masculino.

Teve também o Cross Triathlon etapa premium, onde desta vez os cascavelenses viajaram para Tijucas do Sul, no Paraná. Lá o pessoal também levou vantagem: Melânia garantiu o terceiro lugar geral e Franciney campeão da categoria.

E para fechar o mês, em Caiobá os triatletas encararam o Circuito de Triathlon Olímpico no litoral. Eles obtiveram bons resultados.

A Melânia ficou em primeiro lugar na categoria e em quinto geral feminino, título que garantiu a classificação para a etapa do Campeonato Brasileiro de Sprint Triathlon no Espírito Santo. O Franciney ficou com o segundo lugar na categoria e também foi classificado para a etapa no Espírito Santo.

Evandro Cordeiro conquistou o quinto lugar na categoria.

Os atletas carregam o nome de Cascavel e do Eco Triathlon que será realizado no dia 9 de outubro, numa parceria do Centro Universitário FAG e o Grupamento do Corpo de Bombeiros.











































































10/06/2016 12h23

Aventura! A subida ao vulcão Licancabur

Compartilhe


O vulcão Licancabur localizado no deserto de Atacama na divisa do Chile com a Bolívia, com altitude de 5920 m acima do nível do mar, tem uma subida muito dura pela sua inclinação com cerca de 38° e 1500 m de desnível e com temperaturas inferiores a -7°C.

O Extreme Sports esteve por lá e pode conferir de perto sua dificuldade, mas com um visual recompensador, e hoje você pode conferir este lugar incrível através das nossas imagens.

Confira como foi essa experiência incrível. Por Douglas Zubéldia.















04/06/2016 16h25

Giro pela Patagônia em um tapa

Confira tudo isso no divertido vídeo que resume os lugares incríveis

Compartilhe


Sabe o que acontece quando você junta as agulhas escarpadas do Frey, a enorme "Piedra Parada", o extenso Cânion La Buitrera, mais algumas vinículas e estradas?

Confira tudo isso no divertido vídeo que resume os lugares incríveis onde a Expedição CATVE Patagônia esteve presente.

Estamos nos preparando para mais um imperdível projeto com destinos de tirar o fôlego e aventura garantida.

Acompanhe no BLOG.










21/03/2016 12h08

Equipe da Extreme Sports escalando as escarpadas agulhas patagônicas

Compartilhe


A área de escalada do Refúgio Frey compreende dois fundos de vale, verdadeiros anfiteatros separados por um colo, um deles com uma bela lagoa. As cristas são coroadas por uma infinidade de agulhas e paredes de granito alaranjado de altíssima qualidade. As vistas panorâmicas de algumas agulhas são de tirar o fôlego. É terra de condores e é comum tê-los circulando sobre a cabeça enquanto se escala. Durante os meses de verão esse lugar é um pequeno paraíso.

Chegamos em Bariloche, na Argentina, Daniel, Fabi, Monique e Eu e fomos direto procurar pelo Sr. Pirincho, um dos desbravadores da região que oferece um serviço de carregamento usando mulas e cavalos e quando chegamos lá encontramos com um casal de amigos de Foz do Iguaçu, o Zangão e a Lucélia, que integraram parte da equipe de escaladas às escarpadas agulhas.
Acertamos tudo com o Sr Pirincho e iniciamos a subida na manhã seguinte bem cedo. Sairíamos caminhando do estacionamento do Cerro Catedral e nos dirigindo ao refúgio Frey, cerca de 14km de trilha carregando parte do equipamento nas nossas mochilas. O restante dos equipamentos mais os mantimentos subiriam com os cavalos do Sr Pirincho no mesmo dia.

A dificuldade da trilha, o calor do sol e o peso da mochila que começavam a desgastar o corpo eram facilmente compensados por paisagens deslumbrantes, atravessando pontes por rios cristalinos, montanhas nevadas, agulhas de rocha e verdes vales, incrível o poder da natureza.

Ao chegarmos ao refúgio encontramos várias barracas já instaladas e já era possível ver alguns escaladores nas vias em diferentes agulhas à distância e nosso animo se redobrou. Logo nos informamos sobre as regras do local e fomos procurar um bom local para fazer nosso acampamento, enquanto aguardávamos a chegada de nossos mantimentos.

Conversando com o Zangão descobrimos que o Sr Pirincho era um dos desbravadores da região e que havia ajudado a construir o refúgio Frey. No vídeo você confere alguns trechos da emocionante entrevista feita pelo amigo Zangão sobre a história do Refúgio, localizado a 1700 metros do nível do mar, no Cerro Catedral, é um dos mais visitados e também um dos lugares onde se concentram escaladores do mundo todo. Ali seria o nosso "Campo Base", de onde partiríamos caminhando entre os pedregulhos para atingir o pé das diversas agulhas, iniciar a escalada, rapelar e retornar a caminhada. Tarefa para um dia todo, saindo bem cedo e voltando quase ao final do dia, antes de escurecer.

Após tudo montado, nos alimentamos e descansamos para no dia seguinte dar início as diversas escaladas que estavam no projeto. Eu e a Monique estávamos pela primeira vez ali, mas sabíamos que seríamos contemplados por escaladas em fendas perfeitas e visuais incríveis nas diferentes possibilidades de vias. Estávamos preparados física e psicologicamente, e logicamente ansiosos, mas tínhamos a companhia de dois amigos que já tinham experiência com as Escaladas ali e que nos direcionaram para que escalássemos apenas as vias mais divertidas, as que realmente valiam a pena, ou seja, as consideradas 5 estrelas.

Uma dessas escaladas você também confere no vídeo: a tradicional via "Del Frente" na Agulha Philip Heron. Uma via inteira em móvel de 3 enfiadas de corda com um sistema de fendas do início ao fim, simplesmente fantástica!

Tem muito mais escalada patagônica no próximo post! ACOMPANHE!

Por

Roberto Lazzari Junior.










Extreme Sports

Douglas Zubéldia

Douglas Zubéldia, 30 anos, casado. Formado em Educação Física pela Faculdade Assis Gurgacz (FAG) e com especialização em Avaliação Física e Prescrição de Exercícios para Populações Especiais. Trabalha como Personal Trainer no Studio Health.

Apaixonado por esportes outdoor, é aficionado por escalada esportiva e também praticante de montanhismo. Escalador desde 2007, encontrou nessa prática uma forma de estar em contato direto com a natureza e fugir da rotina do mundo moderno.

Acredita que qualquer um que goste de estar no meio da natureza pode participar do universo do montanhismo, basta procurar a orientação correta. Incentivador do esporte está sempre disposto a ensinar aqueles que têm interesse em começar.



Roberto Lazzari Junior

Roberto Lazzari Junior é Educador Físico especializado em Treinamento Desportivo e Personalizado pela Faculdade Assis Gurgacz. Proprietário da academia Equilíbrio Vertical, trabalha como Instrutor de Pilates e Escalada.

Montanhista por paixão, tem como foco as escaladas tradicionais. Já participou de várias expedições pelo Brasil, Canadá, Patagônia, Cordilheira dos Andes e está sempre em busca de novos desafios.

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28




COPYRIGHT CATVE.TV | 2011 - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS MOBILE READY